O CEO da Disney, Bob Iger, está arrumando a casa. Desde que retornou à empresa, o executivo já cortou bilhões de dólares em conteúdo e demitiu milhares de funcionários. Na última quinta-feira (14), Iger revelou que, para seguir economizando, a Disney vai desacelerar a produção de séries e filmes das franquias da Marvel e Lucasfilm, responsável pela saga Star Wars.

Leia mais:

O que o CEO da Disney disse

A intenção foi revelada por Iger ao jornalista da CNBC David Faber, durante a conferência anual da Allen & Co. em Idaho, nesta quinta-feira (13).

O CEO voltou à Disney no final de 2022 com objetivo de tornar o negócio digital da empresa lucrativo. Isso inclui o serviço de streaming Disney+. Para isso, ele cortou custos e as franquias da Marvel e de Star Wars serão as próximas afetadas.

publicidade

(A Marvel) não estava no negócio da televisão em nenhum nível significativo, e eles não apenas aumentaram a produção de filmes, mas acabaram fazendo várias séries de TV. Francamente, isso diluiu o foco e a atenção.

Bob Iger
CEO da Disney, Bob Iger, durante entrevista, com logomarca da The Walt Disney Company ao fundo

O que vai acontecer com a Disney e Star Wars

  • De acordo com ele, as próximas produções e a necessidade de sequências da Marvel serão reavaliadas.
  • Além disso, a Disney, que comprou a Marvel Studios em 2009, tem investido na Pixar, mas seus lançamentos têm bilheterias aquém do esperado.
  • Já a Lucasfilm não tem um filme inédito no cinema desde 2019 e investiu em séries de TV, como Andor, The Mandalorian e Obi-Wan Kenobi, em uma época que o negócio digital é o grande desafio da Disney.
Indiana Jones 5
O novo Indiana Jones é produção da Lucasfilm e também não teve a bilheteria esperada (Imagem: Lucasfilm / Divulgação)

Contexto

  • A Disney já vem cortando gastos tanto em seu negócio digital quanto no de TV. Na entrevista, Iger também revelou que a empresa está cogitando vender seus investimentos na TV.
  • Tudo isso vem em meio a lançamentos com bilheteria abaixo do esperado e à greve dos roteiristas, que acontece desde o início de maio.
  • Na quinta-feira (13), mais um setor se juntou à greve: os atores anunciaram que paralisariam suas atividades nesta sexta-feira (14), o que não agradou o CEO da Disney.
  • Bob Iger declarou que os profissionais não estão sendo “realistas” com suas expectativas.
  • Assim, a Disney está com o pé atrás em onde deve investir para ter retorno.

Com informações de CNBC

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!