O Google está facilitando o backup e migração de seus dados pessoais entre serviços de terceiros em resposta à investigação relacionada à GDPR (lei geral de dados da Europa) tocada pelo órgão fiscalizador da Itália.

Em nota anunciando mudanças, a AGCM (agência fiscalizadora da Itália) afirmou que os compromissos vinculativos do Google “garantirão automação significante do procedimento disponível para exportação de dados” e “melhora o mecanismo de interoperabilidade que faz os dados disponíveis no ecossistema Google acessível a plataformas de terceiros”.

publicidade

Leia mais:

Ações do Google para encerrar a investigação

  • O Google firmou três compromissos para encerrar a investigação;
  • Os dois primeiros tratam-se do aprimoramento do Google Takeout, enquanto um terceiro vai introduzir nova solução para “permitir portabilidade direta dos dados de serviço para serviço” para operadores terceiros, especialmente sobre dados gerados pela atividade do usuário na pesquisa do Google e no YouTube;
  • O terceiro compromisso firmado, segundo o 9to5Google, seria sobre focar no que o Google já está trabalhando: a Iniciativa de Transferência de Dados, um projeto de código aberto de Meta, Google e Microsoft que apoia a transferência direta de dados de usuários entre plataformas online;
  • A iniciativa já gerou uma ferramenta de transferência de serviço para serviço em 2020 que permite aos usuários do Facebook transferirem suas fotos e vídeos para o Fotos do Google sem precisar baixá-las da rede social e subir no app da gigante das buscas.

Já o Google Takeout já permite a seus usuários exportar seus vídeos pessoais do YouTube com seu histórico de busca e comentários para backup e preparação para upload e serviços de terceiros.

publicidade

Uma “solução de portabilidade de serviço para serviço direto” vai tornar as coisas mais fáceis e mais rápidas (sem downloads locais) para usuários e terceiros. O Google informou ainda que essa função será lançada durante o primeiro trimestre de 2024, e os provedores terceiros de serviço poderão testá-la por “ao menos seis meses” antes do lançamento oficial.

A investigação começou antes da Hoda, startup de exportação de dados italiana, acusou o Google de impedir usuários dos EUA de compartilhar seis dados pessoais com outras plataformas digitais. Ao fazer o Google propor os compromissos vinculativos, a AGCM fechou a investigação.

publicidade

Com informações de The Verge

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!