Conforme noticiado pelo Olhar Digital, o tão aguardado lançamento de teste do Starship, o maior foguete de todos os tempos, terminou em uma explosão no fim de abril. Desde então, a SpaceX vem investigando o acidente, tendo concluído recentemente um relatório a respeito e apresentado à Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA).

Com 120 metros de altura, o maior veículo espacial já construído na história havia saído do chão às 10h34 da manhã (pelo horário de Brasília), a partir da Starbase, a base de lançamento da SpaceX no Texas. Quatro minutos depois, houve uma falha de pressurização, a 35 km de altitude, que provocou o acionamento do modo de autodestruição pouco antes da separação dos estágios.

publicidade

O lançamento também causou danos consideráveis na Starbase, abrindo uma cratera sob a plataforma de lançamento orbital do local e arremessando pedaços de concreto e outros detritos na área circundante. Veja o lançamento aos 23min24s da retransmissão feita pelo Olhar Digital:

Imediatamente, a SpaceX iniciou uma investigação – supervisionada pela FAA, que emite licenças de lançamento – para determinar exatamente o que aconteceu naquele 20 de abril e quais medidas tomar para aumentar as chances de um resultado mais bem-sucedido na próxima vez.

publicidade

Leia mais:

Medidas corretivas devem ser tomadas pela SpaceX

Embora a conclusão da averiguação tenha sido entregue à agência regulatória, isso não quer dizer que o megafoguete já tenha sido liberado para voar novamente.

publicidade

“A SpaceX submeteu seu relatório final de investigação de acidentes à FAA para revisão. Essa revisão está em andamento”, revelou um comunicado da FAA enviado ao site Space.com.

“Quando um relatório final de acidente for aprovado, ele identificará as ações corretivas que a SpaceX deve fazer”, diz o texto. “A SpaceX deve modificar sua licença para incorporar essas ações antes de receber autorização para lançar novamente”.

publicidade

Algumas providências já foram tomadas, como, por exemplo, a instalação de um sistema de escoamento de água sob o suporte de lançamento orbital da Starbase, para amortecer a força colossal do Super Heavy, o primeiro estágio gigante da Starship.

Esse sistema (uma placa de aço que pulveriza enormes quantidades de água para cima e para fora) foi testado pela primeira vez em 6 de agosto, durante um ensaio de “fogo estático” do protótipo Super Heavy chamado Booster 9 (B9).

A SpaceX está preparando o B9 e um protótipo de estágio superior chamado Ship 25 para o segundo voo de teste completo da Starship, cujos objetivos serão semelhantes aos do lançamento frustrado de abril. A data para essa nova decolagem ainda não foi definida, pois depende de uma série de fatores – como o parecer da FAA quanto ao relatório, inclusive.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!