A franquia Castlevania é amada e celebrada por seu legado de jogos de qualidade, sua influência significativa e seu rico universo que envolve caçadores de vampiros, criaturas monstruosas e aventuras sombrías. 

A seguir, destacamos os cinco jogos mais aclamados pela crítica dentro desta lendária série.

publicidade

Castlevania: Rondo of Blood (1993)

Castlevania: Rondo of Blood (1993) / Crédito: Konami (divulgação)

“Rondo of Blood” foi originalmente lançado para o Super CD-ROM² System da PC Engine. O jogo Richter como protagonista e sua jogabilidade é caracterizada por saltos precisos, combate estratégico com o uso do chicote, coleta de itens para aprimorar suas habilidades. 

Esse é o mais aclamado título do estilo clássico de plataforma e ação, gênero originário da série.

publicidade

Uma versão reformulada chamada “Castlevania: Dracula X” foi lançada para o Super Nintendo em 1995, trazendo novos níveis e alterações na jogabilidade que o distinguem do Rondo of Blood original.

Leia também:

publicidade

PUBLICIDADE

Castlevania: Aria of Sorrow (2003)

Castlevania: Aria of Sorrow (2003) / Crédito: Konami (divulgação)
  • 87.86% no GameRankings
  • 91 no Metacritic 

Lançado para Game Boy Advance, “Aria of Sorrow” é um dos títulos da franquia que segue a jogabilidade “Metroidvania”, subgênero conhecido por sua jogabilidade de exploração não-linear e elementos de RPG. 

publicidade

Diferentemente da maioria dos outros títulos da série, a trama de “Aria of Sorrow” se passa no futuro, no ano de 2035, e segue o protagonista Soma Cruz, um jovem que, junto com sua amiga Mina Hakuba, é transportado para dentro do castelo de Drácula depois de observar um eclipse solar. 

Uma das mecânicas distintivas do jogo é o sistema de “Tactical Soul”, no qual Soma pode absorver almas de inimigos derrotados para ganhar habilidades especiais. 

Devido ao sucesso de público e crítica, este jogo recebeu uma continuação direta: “Castlevania: Dawn of Sorrow”.

Castlevania: Dawn of Sorrow (2005)

Castlevania: Dawn of Sorrow (2005) / Crédito: Konami (divulgação)
  • 90.35% no GameRankings
  • 89 no Metacritic 

Sequência direta de “Aria of Sorrow”, “Dawn of Sorrow” foi lançado para Nintendo DS e segue a linha Metroidvania do antecessor. O título também foi aclamado pela crítica. 

A história se passa um ano após os eventos do jogo anterior, e agora Soma deve impedir que um culto maligno realize o renascimento de Drácula.

Na jogabilidade, “Dawn of Sorrow” mantém o sistema “Tactical Soul” do jogo anterior e introduz um novo, o “Magic Seal”, que faz uso do toque da tela do DS. Após derrotar um chefe, o jogador é direcionado a uma tela onde deve desenhar um padrão mágico com a caneta stylus na tela inferior do DS. Se o jogador conseguir desenhar corretamente e dentro do tempo limite, o chefe é selado e não poderá ser revivido. Caso contrário, o chefe irá readquirir uma pequena porção de vida e a batalha continuará

Castlevania: Circle of the Moon (2001)

Castlevania: Circle of the Moon (2001) / Crédito: Konami (divulgação)
  • 88.32% no GameRankings
  • 91 no Metacritic 

“Circle of the Moon” é o primeiro jogo da série lançado para o Game Boy Advance após as não tão bem-sucedidas incursões da franquia nos ambientes 3D no Nintendo 64, retomando e contribuindo para definir a jogabilidade “Metroidvania” da série. 

A trama do jogo segue a história de Nathan Graves e sua missão para resgatar seu mentor, Morris Baldwin.

No que diz respeito à jogabilidade, o jogo adota o estilo de progressão não linear, com Nathan usando seu chicote como arma principal. Além disso, o jogo introduz o sistema de cartas DSS, permitindo aos jogadores combinar cartas de habilidade para criar efeitos mágicos no chicote do protagonista.

Aclamado pela crítica, o jogo enfrentou alguma controvérsia devido aos gráficos escuros que proporcionam baixa visibilidade. No entanto, os críticos observaram que isso era mais uma limitação do Game Boy Advance do que um problema do jogo em si.

Castlevania: Symphony of the Night (1997)

Castlevania: Symphony of the Night (1997) / Crédito: Konami (divulgação)
  • 93.03% no GameRankings
  • 93 no Metacritic 

Lançado originalmente para Sega Saturn e PlayStation, “Symphony of the Night” é amplamente reconhecido como um dos jogos mais influentes na história dos videogames, sendo um marco na evolução dos jogos de plataforma e ação.

Foi esse jogo que introduziu um novo estilo de jogabilidade na série, posteriormente denominado “Metroidvania”. Juntamente com o jogo da Nintendo “Super Metroid” (1994), “Symphony of the Night” deixou uma marca na história dos jogos criando um subgênero novo.

A história se inicia durante o final de “Rondo of Blood” e mostra a vitória de Richter contra Drácula. Quatro anos depois, Richter desaparece e o castelo de Drácula ressurge. Daí entra em cena o protagonista deste jogo, Alucard, um meio-humano, meio-vampiro e filho de Drácula, que tem como missão destruir o castelo de seu pai.

A jogabilidade centraliza-se na exploração do castelo, aquisição de novas habilidades e equipamentos, combate contra inimigos e chefes, e a abertura de áreas previamente inacessíveis.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!