Nas últimas três décadas, houve um aumento de 79% de casos de câncer entre pessoas com menos de 50 anos em todo o mundo, de acordo com uma pesquisa publicada recentemente na revista British Medical Journal Oncology.

Apesar de a maioria dos diagnosticos se concentrar em pessoas mais velhas, as evidências sugerem que os casos na população abaixo dos 50 anos aumentaram em muitas partes do mundo desde a década de 90.

Leia mais:

Principais cânceres de início precoce

  • Globalmente, os casos de câncer de início precoce aumentaram de 1,82 milhões (em 1990) para 3,26 milhões (em 2019) na faixa etária abaixo de 50 anos;
  • De acordo com as análises, o câncer de mama foi o principal responsável pelo aumento dos casos de início precoce dessa faixa etária em 2019;
  • O índice de morte de adultos na faixa dos 40, 30 anos ou menos aumentou quase 28% nos últimos 30 anos;
  • Os cânceres da traqueia e próstata aumentaram mais rapidamente desde 1990;
  • Por outro lado, o câncer de figado de início precoce foi o que mais diminuiu nesse período, com uma redução de 2,88% anualmente;
  • Cânceres de mama, traqueia, pulmão, intestino e estômago foram os que causaram mais mortes e que mais comprometeram a saúde de adultos mais jovens em 2019.
Ilustração digital de células de câncer em corrente sanguínea
Ilustração de células cancerígenas. (Imagem: Vitanovski/iStock)

Regiões com maiores diagnósticos e mortes

O estudo se baseou em dados do Estudo Global Burden of Disease 2019 para 29 cânceres em 204 países e regiões. As taxas mais elevadas de câncer de início precoce em 2019 foram registradas na América do Norte, Australásia (Austrália, Nova Zelândia, Nova Guiné e ilhas da Indonésia) e Europa Ocidental.

publicidade

Oceania, Europa Oriental e Ásia Central foram as regiões com as taxas de mortalidade mais altas para pessoas com menos de 50 anos.

Fatores associados ao aumento de câncer na população abaixo dos 50 anos

De acordo com os pesquisadores, os fatores genéticos, provavelmente, têm um papel importante nesses aumentos. Porém, a alimentação rica em carne vermelha e sal, ausência de frutas e leite, consumo de álcool e tabagismo, também são fatores de risco associados aos cânceres mais comuns entre pessoas abaixo dos 50 anos.

Falta de atividade física, excesso de peso e níveis elevados de açúcar no sangue também são fatores de risco.

A compreensão completa das razões que impulsionam as tendências observadas permanece indefinida, embora fatores de estilo de vida provavelmente estejam contribuindo, e novas áreas de pesquisa, como o uso de antibióticos, o microbioma intestinal, a poluição do ar externo e as exposições no início da vida estejam sendo exploradas.

São urgentemente necessárias medidas de prevenção e detecção precoce, juntamente com a identificação de estratégias de tratamento ideais para cancros de início precoce, que devem incluir uma abordagem holística que aborde as necessidades únicas de cuidados de suporte dos pacientes mais jovens.

Médicos do Centro de Saúde Pública da Queen’s University Belfast, em editorial vinculado ao estudo.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!