A SpaceX assinou um acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA) para lançar em órbita até quatro dos principais satélites de navegação do projeto Galileo, sistema de navegação por satélite da União Europeia. Segundo o The Wall Street Journal, a parceria ocorre em meio ao atraso de empresas rivais locais, dando espaço para a companhia de Elon Musk se firmar ainda mais no continente. 

O que você precisa saber: 

publicidade
  • A SpaceX e a Agência Espacial Europeia assinaram um acordo para dois lançamentos no próximo ano, cada um transportando dois satélites Galileo; 
  • De acordo com Javier Benedicto, diretor de navegação da agência europeia, ao WSJ, os satélites devem ser lançados no foguete Falcon 9 da SpaceX dos EUA; 
  • A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, juntamente com os estados-membros da UE, ainda deve dar a aprovação final para o acordo; 
  • Segundo autoridades, a decisão final deve ser divulgada até o final do ano; 
  • Essa é a primeira vez que a SpaceX é contratada para lançar um satélite por instituições da UE contendo equipamento classificado; 
  • A SpaceX ainda não se pronunciou sobre o acordo. 

Leia mais! 

SpaceX era única opção para Europa 

Se por um lado o acordo pode ser um bom negócio para a SpaceX, para a Europa a parceria com uma empresa norte-americana não é tão interessante. Segundo autoridades, o bloco não deveria depender de lançamentos a partir dos EUA para fornecer infraestruturas ao espaço. 

publicidade

Contudo, a ESA enfrenta atrasos com a operadora de lançamento francesa Arianespace, que atua no programa europeu de foguetes Ariane. Além de desafios técnicos, que atrasaram o lançamento do Ariane 6, há ainda a decisão de não usar foguetes russos devido à guerra na Ucrânia. Com isso, o continente ficou sem escolha a não ser recorrer à SpaceX para acelerar seu cronograma. 

O que são os satélites Galileo? 

Extremamente importantes por serem estratégicos, os satélites Galileo alimentam o sistema de navegação por satélite da UE, dando autonomia em relação ao Sistema de Posicionamento Global dos EUA e da China. Eles também lidam com comunicações criptografadas usadas pelos governos europeus, fornecendo comunicação segura. 

publicidade

Além dessa ser a primeira vez que a empresa de Musk é contratada por uma instituição da Europa, também é a primeira vez que os satélites Galileo serão lançados de fora do território da UE desde que os dispositivos de teste foram lançados no Cazaquistão, há 15 anos. 

Vale pontuar que, embora esse seja o primeiro contrato da SpaceX com uma instituição governamental da Europa, não é a primeira vez que a agência europeia usa foguetes da empresa. Em julho deste ano, a missão Euclides da ESA foi lançada a bordo de um foguete SpaceX Falcon 9.  

publicidade

As autoridades europeias também decidiram lançar a missão EarthCARE, que visa estudar nuvens, aerossóis e radiação, com a SpaceX. Todos os voos foram originalmente programados para foguetes operados pela Arianespace.