O último fim de semana foi bastante movimentado no mundo da tecnologia. Isso porque o pai do ChatGPT, Sam Altman, foi repentinamente demitido da OpenAI na sexta-feira (17).

Em um intervalo de 72 horas, Altman saiu da OpenAI, foi contratado pela Microsoft e voltou à empresa que ajudou a fundar em 2015. Já a dona do ChatGPT, no mesmo período, teve dois CEOs interinos, quase perdeu centenas de funcionários insatisfeitos com a decisão, perdeu um de seus cofundadores e recontratou Altman.

publicidade

Leia mais:

Essas movimentações drásticas fizeram o futuro da empresa se tornar incerto, além de que os diretores da empresa terem perdido a confiança no conselho, que votou pela saída de Altman e que foi desfeito. Os investidores da companhia também não estão contentes com todo o ocorrido e chegaram a pressionar pelo retorno do CEO.

publicidade

Se você esteve ausente e não viu nada do que aconteceu entre Altman e OpenAI, confira abaixo um resumo completo provido pela CNN:

Sexta-feira (17)

  • Às 17h (horário de Brasília), Sam Altman participou de reunião por vídeo com boa parte do conselho da OpenAI, incluindo seu companheiro na fundação da empresa, Ilya Sutskever, que votou a favor de sua demissão;
  • Na conversa, Altman foi informado que fora demitido e que a notícia se tornaria pública em breve;
  • Na meia hora seguinte, Greg Brockman, outro cofundador da empresa e então presidente, foi informado sobre sua destituição do conselho;
  • Às 17h30, a OpenAI oficializou a demissão de Altman publicamente, alegando quebra de confiança. Em seu lugar, a empresa anunciou, interinamente, Mira Murati, CTO da companhia;
  • Minutos antes do anúncio, parceiras da OpenAI, como a Microsoft, foram informadas da demissão do CEO;
  • Horas depois, Altman postou no X que “amou trabalhar com tantas pessoas talentosas” e que ele iria ter “mais a dizer sobre quais serão meus próximos passos mais à frente”;
  • Brockman resolveu se demitir da empresa. “Por favor, não gastem tempo se preocupando. Ficaremos bem. Grandes coisas virão em breve”, afirmou no X;
  • A CNN descobriu que a demissão de Altman se deu porque o executivo queria o desenvolvimento da IA de forma mais agressiva, enquanto o conselho queria isso mais cautelosamente.

Sábado (18)

  • Em menos de 24 horas após a demissão de Altman, informações surgiram sobre a possibilidade de que ele e outros ex-OpenAI criassem sua própria empresa e que a OpenAI já estava considerando recontratar o executivo.

Domingo (19)

  • Na tarde de domingo, Altman voltou ao escritório da OpenAI, como convidado, para negociar seu retorno;
  • O CEO da Microsoft, Satya Nadella, mediou a negociação;
  • Às 15h, o prazo final foi estabelecido para que o conselho concordasse com as demandas de Altman, como adição de assento no conselho para a Microsoft e sua reintegração como CEO, mas as negociações teriam sigo rompidas;
  • No final de domingo e virada para segunda-feira, Nadela postou no X que Altman e Brockman poderiam assumir cargos na Microsoft dentro de um novo grupo de pesquisa de IA;
  • Enquanto isso, na OpenAI, Mira Murati voltou ao cargo de CTO e Emmett Shear, ex-CEO da Twitch.

Segunda (20)

  • Em publicação no X realizada no começo de segunda, Shear, que deixou a Twitch em março, descreveu a chance de se unir à OpenAI como “uma [oportunidade] única na vida”;
  • Ele ainda disse que a empresa poderia contratar um investigador independente para entender o que levou à demissão de Altman;
  • Mas os empregados da OpenAI não se convenceram. Centenas deles enviaram, ainda de manhã, uma carta aberta querendo a saída do conselho e o retorno de Altman e Brockman, além de ameaçarem se juntar à dupla na Microsoft caso as reivindicações não fossem cumpridas;
  • Altman aproveitou e postou no X que “temos mais unidade, comprometimento e focos do que nunca anyes. Vamos todos voltar a trabalhar juntos de um jeito ou de outro, e estou muito empolgado. Uma equipe, uma missão”;
  • A situação, contudo, ainda não estava resolvida. O The Verge noticiou na tarde de segunda que Altman e Brockman ainda poderiam voltar à OpenAI, mas somente se o conselho fosse diluído;
  • De qualquer forma, ainda na segunda, Altman apareceu no X tranquilizando os clientes da empresa ao afirmar que ele continuaria envolvido com a empresa. Ele afirmou que sua prioridade número um, junto com Nadella, “permanece ser garantir que a OpenAI continue a florescer”;
  • “Estamos comprometidos a prover total continuidade das operações a nossos parceiros e clientes”, disse Altman.