O Ministério da Economia da Espanha confirmou que iniciou o processo de compra de 10% de participação da Telefônica. Em publicação nas redes sociais, o governo espanhol explicou que o plano é baseado em estratégias adotadas por outros países europeus, como Alemanha e França.

A analista sênior de telecomunicações da Enders Analysis, Karen Egan, explicou ao Financial Times que os governos estão cada vez mais cautelosos em permitir influência estrangeira em empresas locais de telecomunicações.

O que você precisa saber

  • Conforme as informações do Financial Times, a medida também é uma resposta ao anúncio do Grupo STC da Arábia Saudita, que, em setembro, também comprou uma porcentagem de 9,9% de participação da empresa.
  • Segundo a Reuters, o valor referente da participação de 10% da empresa tinha um valor de aproximadamente 2 bilhões de euros na noite da última terça-feira (19), mais de R$ 10 bilhões na cotação atual.
  • Como reporta o Mobile World Live, o ministério também ressalta que sua participação como acionista dará “estabilidade à empresa e ao desenvolvimento dos seus planos no país”.

Leia mais:

O que diz a Telefónica

Em comunicado, a empresa reconheceu a compra e disse que está focada num plano estratégico no qual pretende continuar criando valor para seus acionistas e fornecendo o melhor serviço para seus clientes.

publicidade

Em novembro, a Telefónica apresentou um plano estratégico até 2026, que listava algumas metas como os crescimentos anuais de 2% em lucros e 10% em crescimento no fluxo de caixa livre.

Além o ministério espanhol e do Grupo STC, os principais acionistas da Telefónica incluem: a Caixabank, com 3,5% de participação; Criteria, com 2,5%; e o BBVA (Banco Bilbao Vizcaya Argentaria), com 4,87%.