Seguindo seus planos para contornar as restrições de exportação de chips dos EUA, a Nvidia, fabricante norte-americana de chips, lançou na quinta-feira (28) uma versão modificada de um chip avançado focado em jogos especialmente para a China. Segundo a empresa à Reuters, o semicondutor estará disponível para o país a partir de janeiro. 

O que você precisa saber: 

publicidade
  • Segundo a Nvidia, o novo chip é um “salto quântico em desempenho, eficiência e gráficos baseados em inteligência artificial” para usuários de jogos na China; 
  • Intitulado como GeForce RTX 4090 D, o produto marca o primeiro chip focado na China que a Nvidia lançou oficialmente desde que as regras de exportação do governo Joe Biden foram reveladas em outubro; 
  • O chip é baseado no semicondutor para jogos top de linha RTX 4090, banido com as regras de exportação; 
  • A Nvidia tem planos de lançar ao menos três chips dedicados ao mercado da China. Originalmente, o plano era oferecer os produtos já em novembro deste ano, mas o projeto foi adiado — não há previsão para o lançamento dos próximos dois chips. 

Leia mais! 

O GeForce RTX 4090 D foi projetado para cumprir integralmente os controles de exportação do governo dos EUA. Ao desenvolver este produto, nos envolvemos extensivamente com o governo dos EUA. 

Porta-voz da Nvidia à Reuters. 

Ainda conforme o porta-voz da fabricante, comparado ao RTX 4090 banido, o RTX 4090 D focado na China é “5% mais lento em jogos e criação”. Ele também será mais caro que o segundo chip mais avançado da série de produtos disponível para clientes chineses. 

publicidade

Vale destacar que a Nvidia possui mais de 90% do mercado de chips de IA da China, justificando o empenho da empresa em atender a demanda do mercado já que, com as restrições, empresas nacionais como a Huawei terão mais oportunidades para ganhar espaço. 

O governo americano e a Nvidia entraram recentemente em um acordo sobre as vendas de chips para a China. Segundo a secretária de Comércio dos EUA, Gina Raimondo, a companhia “pode, irá e deve vender chips de IA para a China porque a maioria dos chips de IA será para aplicações comerciais”, mas autorização não inclui semicondutores mais avançados.