A chegada do ChatGPT e outras inteligências artificiais levantaram um debate pertinente sobre o quanto esses programas podem substituir humanos em atividades intelectuais. E parece que essa história acaba de ganhar mais um capítulo importante. Tudo após uma consagrada autora japonesa, Rie Kudan, admitir que um de seus romances foi escrito com o ChatGPT. As informações são do The Japan Times.

Leia mais:

publicidade

Kudan chegou a dizer que foi compartilhando seus pensamentos com a ferramenta que ela conseguiu libertar todo o seu potencial criativo para a obra. O livro em que ela teve a ajuda da inteligência artificial para escrever é o Tokyo-to Dojo-to (Torre da Compaixão de Tóquio).

Na última quarta-feira, o livro recebeu o Prêmio Akutagawa, considerada a maior premiação de literatura do Japão. Era esperado que o livro de Kudan levasse o prêmio, e na cerimônia, o júri rasgou elogios à obra.

publicidade

A autora de 33 anos, ao ser premiada no evento, admitiu então que teve a ajuda da inteligência artificial. Ela revelou que 5% das frases que estão no livro foram geradas pelo ChatGPT. Entre os temas abordados no romance, a inteligência artificial é justamente um dos principais assuntos.

Livro escrito com a ajuda do ChatGPT

  • A revelação de Kudan causou curiosidade em diversos leitores, já que ela não indicou exatamente quais frases foram geradas por IA;
  • Pelas redes sociais, muitos chegaram a apontar trechos que “pareciam” terem saído do ChatGPT, e não pela escrita de um humano;
  • Os leitores em geral consideraram que, se apenas 5% do conteúdo total teve interferência de uma IA, não se trata de um problema tão grave.