As plantas também apreciam música? Bem, pesquisas indicam que elas podem se desenvolver mais rapidamente quando são submetidas a estímulos sonoros. Uma pesquisa conduzida pela Universidade Flinders realizou um experimento com fungos, demonstrando que aqueles que “ouviam música” apresentaram crescimento acelerado.

A abordagem, chamada de “ecoacústica”, tem o potencial de auxiliar na recuperação de ecossistemas degradados. O estudo foi publicado no portal bioRxiv.

publicidade

Experimento com saquinhos de chá

  • Na primeira fase dos experimentos, os cientistas enterraram saquinhos de chá-verde e rooibos (uma planta sul-africana) para estimular o crescimento de fungos.
  • Os saquinhos foram expostos a uma paisagem sonora monótona de 70 dB ou 90 dB a 8 kHz.
  • Após 14 dias de estímulos acústicos, os fungos tornaram-se visíveis na terra.
  • Aqueles que receberam um estímulo inferior a 30 dB quase não ficaram visíveis no mesmo período.
Imagem: bioRxiv/Jake Robinson

Leia mais:

Testes com fungos de controle biológico

  • Na segunda bateria de testes, os pesquisadores cultivaram o Trichoderma harzianum, um fungo que combate organismos causadores de doenças em plantas.
  • Um grupo de vinte recipientes com o fungo foi submetido a uma estimulação acústica monótona de 80 dB a 8 kHz durante cinco dias, enquanto outro grupo não recebeu estímulo.
  • Constatou-se que os fungos estimulados pelos sons apresentaram crescimento acelerado e reproduziram-se cinco vezes mais rápido.
Imagem: bioRxiv/Jake Robinson
Imagem: bioRxiv/Jake Robinson

Restauração florestal

Uma vegetação devastada leva uma década para se recuperar. A abordagem ecoacústica pode ser uma solução para acelerar esse processo. Martin Breed, co-autor do estudo, destaca ao New Atlas: “Os estudos do nosso laboratório sobre ecologia de restauração estão abrindo caminho para um melhor crescimento da vegetação nativa – incluindo a reintrodução de espécies perdidas.”

publicidade

Novas pesquisas serão realizadas para compreender os efeitos do som nas plantas e também para detectar padrões que possam estimular diferentes espécies.