A análise de ossos de um homem de cerca de 5 mil anos, encontrados há mais de um século em um pântano na Dinamarca, revelam importantes sinais de violência. A partir destas informações, pesquisadores acreditam ter desvendado o mistério em torno do “Homem Vittrup”. Segundo eles, ele era um imigrante que foi sacrificado por moradores da região.

Leia mais

publicidade

As conclusões foram possíveis a partir da análise do DNA e também da placa dental. Ele teria sido um comerciante de sílex itinerante que acabou sendo brutalmente assassinado no local.

Em 1915, os restos humanos foram localizados perto da vila de Vittrup, no norte da Dinamarca. Depois de encontrar uma panela de cerâmica e um taco de madeira, os escavadores entraram em contato com o museu de história local sobre os artefatos.

publicidade

Enquanto esses dois objetos, datados de cerca de 3800 a 3500 a.C., logo foram levados para o Museu Nacional da Dinamarca e exibidos, os ossos permaneceram não estudados por um século. Mas, agora, trabalhos recentes revelaram que o “Homem Vittrup” viveu entre 3300 e 3100 a.C. e tinha um perfil genético distinto daqueles de seus contemporâneos locais.

O estudo foi publicado na revista PLOS One. As informações são da Live Science.

Análise dos ossos revelou diversas informações sobre o homem antigo

  • Um osso do tornozelo direito, uma canela inferior esquerda e um crânio e mandíbula fragmentados com 16 dentes são tudo o que resta do “Homem Vittrup”.
  • A análise destes materiais sugere que ele morreu por volta dos 30 a 40 anos de idade.
  • O homem nasceu numa época em que o norte da Europa era amplamente povoado por comunidades agrícolas.
  • Mas o estudo de proteínas dietéticas presas na placa dental e de variações em ossos e dentes dele sugeriu que o indivíduo provavelmente era de um grupo de caçadores da costa norte da Escandinávia, perto do Círculo Polar Ártico.
  • Os pesquisadores explicam que a placa se forma em todos os dentes humanos, mas quando não é escovada ou colhida, endurece em cálculo dentário, rico em DNA e proteínas que podem preservar informações dietéticas por milhares de anos.
  • Assim, foi possível descobrir que o “Homem Vittrup” consumia peixes como bacalhau e dourada, bem como carne de baleia, carne de golfinho e carne de carneiro.
  • Mas também notou-se uma mudança alimentar que coincidiu com uma mudança geográfica.
  • Segundo a equipe, ele teria se mudado para uma comunidade agrícola aos 12 anos de idade.
  • O motivo da mudança não está claro.
  • Uma teoria é que ele poderia ter sido capturado, e talvez escravizado, por um grupo hostil.
  • De qualquer forma, o estado fragmentado do crânio mostra que ele sofreu pelo menos oito golpes e teve uma morte violenta.
  • Os pesquisadores acreditam que o homem tenha sido sacrificado durante um ritual.