Nos dias atuais, a tecnologia desempenha um papel fundamental em nossas vidas, proporcionando comodidade, segurança e conectividade. No entanto, assim como as inovações tecnológicas trazem benefícios, também abrem portas para novas formas de criminalidade e ameaças à segurança.

Um exemplo preocupante disso são os “capetinhas“, dispositivos utilizados por criminosos para interferir e bloquear sinais de comunicação, representando uma séria ameaça tanto para a segurança de residências quanto para a proteção de veículos.

publicidade

Leia também:

Pensando nisso, vamos entender o que são esses “capetinhas”, como funcionam e como você pode proteger seu carro e sua casa contra essas ameaças crescentes.

publicidade

Capetinhas: o que são e como funcionam?

Também conhecidos como bloqueadores de sinais de radiocomunicações (BSR) e jammers, os capetinhas são dispositivos eletrônicos projetados para interferir e bloquear sinais de comunicação sem fio, tais como Wi-Fi, GPS, rádio, e outros sinais de radiocomunicação. Eles são utilizados por criminosos para dificultar a operação de dispositivos eletrônicos, como câmeras de segurança, alarmes, rastreadores veiculares, e sistemas de segurança residencial e automotiva.

Os capetinhas operam por meio da transmissão de sinais de radiofrequência em frequências específicas, interferindo e bloqueando os sinais de comunicação sem fio nas proximidades. Eles podem atuar em diferentes faixas de frequência, dependendo do tipo de sinal que se deseja bloquear.

publicidade
bloqueador de sinal, o famoso capetinha
Imagem: Reprodução

Esses dispositivos geralmente são projetados para operar de forma discreta e podem ser facilmente transportados e escondidos pelos criminosos. Eles emitem sinais que interferem nos sinais de comunicação utilizados por dispositivos eletrônicos, como câmeras de segurança e sistemas de alarme, fazendo com que esses dispositivos percam a conectividade e deixem de funcionar corretamente.

Por exemplo, ao ser ativado próximo a uma câmera de segurança sem fio, um capetinha irá emitir sinais de interferência na mesma frequência utilizada pela câmera, fazendo com que ela perca a conexão com o sistema de monitoramento ou grave imagens distorcidas e inutilizáveis. Da mesma forma, ao ser utilizado próximo a um rastreador veicular com conexão GPS, um capetinha pode interferir no sinal de GPS, impedindo que o veículo seja localizado com precisão.

publicidade

Os capetinhas podem ser controlados remotamente ou programados para operar automaticamente em determinados horários ou em resposta a determinados eventos. Alguns modelos mais avançados podem até mesmo escanear e identificar automaticamente os sinais de comunicação sem fio presentes no ambiente, adaptando-se para bloqueá-los de forma eficaz.

Os capetinhas representam uma ameaça significativa para a sua segurança, pois permitem que os criminosos desativem ou contornem os sistemas de segurança eletrônica e comunicação, facilitando a realização de atividades criminosas, como roubo e invasão. Por isso, é importante estar ciente dos riscos associados a esses dispositivos e adotar medidas preventivas para proteger-se contra eles.

Como proteger seu carro e casa?

Diante da crescente utilização de capetinhas por criminosos, torna-se essencial adotar medidas preventivas para proteger tanto o carro quanto a casa contra roubo e invasões. Abaixo, apresentamos algumas dicas para proteção eficaz:

  • Instalação de sistemas de segurança com fio: Opte por sistemas de segurança para casa e carro que não dependam exclusivamente de redes sem fio, como Wi-Fi, para funcionar. Dê preferência a sistemas com fiação física, como câmeras de segurança com conexão por cabo e alarmes com fio, que não são afetados por interferências de capetinhas.
  • Utilização de sistemas de monitoramento redundantes: Além dos sistemas sem fio, instale sistemas de monitoramento com fio como backup. Dessa forma, mesmo que os capetinhas bloqueiem os sinais sem fio, os sistemas com fio continuarão funcionando e registrando atividades suspeitas.
  • Proteção física dos dispositivos: Reforce a segurança física dos dispositivos eletrônicos, como câmeras de segurança e rastreadores veiculares, instalando-os em locais de difícil acesso e protegendo-os contra danos e manipulações por parte de invasores.
  • Atualização e criptografia de redes Wi-Fi: Mantenha sua rede Wi-Fi doméstica protegida por senha e atualize regularmente o firmware do roteador para evitar vulnerabilidades. Além disso, ative a criptografia WPA2 ou WPA3 para proteger a comunicação sem fio contra interceptações.
  • Monitoramento constante: Esteja sempre atento a atividades suspeitas ao redor de sua casa e veículo. Verifique regularmente o funcionamento dos sistemas de segurança e fique atento a sinais de interferência ou bloqueio de sinais.
  • Denuncie atividades suspeitas: Em caso de identificação de atividades criminosas ou suspeitas, como interferência em redes sem fio ou tentativas de invasão, denuncie às autoridades competentes imediatamente para que possam agir e investigar o ocorrido.

Adotar essas medidas preventivas pode ajudar a minimizar os riscos de roubo e invasão, tornando sua casa e seu veículo menos vulneráveis. É importante estar sempre atualizado sobre as técnicas e tecnologias utilizadas pelos criminosos e tomar as precauções necessárias para se proteger.