A Microsoft anunciou na segunda-feira (26), durante o Mobile World Congress (MWC), um conjunto de princípios para promover a inovação e a concorrência na inteligência artificial (IA). De acordo com a Reuters, medida chega como estratégia para afastar preocupações sobre domínio da big tech, já que o Google e reguladores antitruste têm questionado seu poder no mercado de nuvem. 

O que você precisa saber: 

publicidade
  • Os princípios da Microsoft chegam como reconhecimento do seu papel como líder de mercado em IA, uma medida que poderá afastar preocupações sobre o seu domínio; 
  • Assim como a Nvidia, a empresa vive um salto em seus negócios, graças ao entusiasmo em torno da IA — parte disso por sua colaboração com o criador do ChatGPT, OpenAI; 
  • Os Princípios de Acesso à IA incluem, basicamente, a disponibilização da tecnologia da Microsoft para desenvolvedores em todo o mundo; 
  • A empresa também se comprometeu em não utilizar informações ou dados não públicos provenientes da construção e implantação de modelos de IA de desenvolvedores no Microsoft Azure para competir no mercado; 
  • Ela também permitirá que os clientes do Microsoft Azure exportem e transfiram facilmente seus dados para outro provedor de nuvem. 

Leia mais! 

À medida que entramos em uma nova era baseada na inteligência artificial, acreditamos que este é o melhor momento para articular princípios que regerão como operaremos nossa infraestrutura de data center de IA e outros ativos importantes de IA em todo o mundo. Ao publicar estes princípios, comprometemo-nos a fornecer o amplo acesso à tecnologia necessário para capacitar organizações e indivíduos em todo o mundo a desenvolver e utilizar a IA de formas que sirvam o bem público. 

Brad Smith em discurso no Mobile World Congress (MWC 2024), em Barcelona. 

Os princípios de IA da Microsoft incluem: 

publicidade
  • Fornecer acesso e suporte para desenvolvedores de IA; 
  • Disponibilizar amplamente modelos de IA e ferramentas de desenvolvimento para desenvolvedores de aplicativos de software em todo o mundo; 
  • Disponibilizar APIs públicas (Interface de Programação de Aplicativos) para permitir que os desenvolvedores acessem e usem modelos de IA no Microsoft Azure. 

Google versus Microsoft 

A movimentação da Microsoft chega após o Google enviar, em dezembro de 2023, uma carta à Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA), regulador antitruste da Grã-Bretanha, pedindo para o órgão investigar a participação da empresa no mercado de nuvem do Reino Unido.

Segundo a dona do Chrome, as práticas comerciais da apoiadora da OpenAI deixam ela e outras empresas em “desvantagem significativa”. 

publicidade

Desde outubro, no entanto, a CMA já investiga oficialmente a companhia. Decisão veio após uma recomendação do regulador de mídia Ofcom, que também destacou o domínio de mercado da Amazon.