Em testes intensivos realizados durante 10 dias no Centro Espacial Johnson, da NASA, a agência e a SpaceX alcançaram um marco importante para as futuras missões de astronautas à Lua. 

Vamos entender:

publicidade
  • O megafoguete Starship, da SpaceX, será usado como módulo de pouso na Lua pela missão Artemis 3, prevista para 2026;
  • Esta será a primeira missão a pousar seres humanos na Lua desde 1972;
  • Um time de quatro astronautas será lançado a bordo da cápsula Orion pelo complexo veicular Space Launch System (SLS), da NASA;
  • Na órbita da Lua, a cápsula Orion, então, deve se acoplar ao Starship para transferência da tripulação (na chegada e na saída).

NASA e SpaceX fazem mais de 200 testes de acoplamento

Esta semana, engenheiros simularam mais de 200 cenários de acoplamento possíveis entre o Starship e a Orion. Em comunicado, a NASA disse que esses testes são cruciais para garantir a segurança e eficácia do sistema que levará os astronautas à Lua na missão Artemis 3, prevista para acontecer em 2026.

A missão Artemis 3 envolve duas espaçonaves essenciais: a cápsula Orion, que levará os astronautas à órbita lunar, e o módulo de pouso Starship, que os transportará até o polo sul da Lua. A NASA busca estabelecer um assentamento permanente nessa região para aproveitar recursos como o potencial gelo de água, útil para as mais variadas necessidades da missão.

publicidade

Os testes avaliaram a capacidade do Starship em desempenhar o papel de acoplamento ativo, sendo um “perseguidor” do sistema de acoplamento da Orion. O objetivo era garantir que o sistema de captura suave da SpaceX pudesse integrar-se à Orion de maneira eficiente. Os resultados desses testes, utilizando hardware em escala real de cada uma das espaçonaves, validam os modelos de computador do sistema de acoplamento do módulo lunar.

Representação artística do módulo de pouso Starship, da SpaceX, chegando à Lua. Crédito: SpaceX

É importante destacar que, embora o Starship ainda não tenha alcançado a órbita da Terra, seu sistema de acoplamento lunar é baseado no bem-sucedido sistema de acoplamento Dragon 2, utilizado em missões para a Estação Espacial Internacional (ISS). Além da missão Artemis 3, o Starship está programado para futuras missões de acoplamento com a estação espacial Gateway, da NASA.

publicidade

Leia mais:

A SpaceX venceu a licitação da NASA para desenvolvimento do Sistema de Pouso Humano (HLS) para o programa Artemis, que visa levar uma coalizão de nações à superfície lunar. Apesar de protestos de concorrentes, a SpaceX continuou liderando o desenvolvimento do sistema de pouso lunar.

publicidade

A empresa enfrentou desafios em seus dois voos de teste, mas se diz comprometida em superá-los. Recentemente, a investigação da Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA sobre o segundo lançamento explosivo, ocorrido em novembro, foi encerrada, e a SpaceX está trabalhando na licença de lançamento para a próxima tentativa.

Representação artística do módulo de pouso Starship, da SpaceX, na superfície da Lua. Crédito: SpaceX

O cronograma das missões Artemis foi ajustado, com a Artemis 3 agora programada para pousar um ano depois do planejado inicialmente. O progresso da SpaceX tem sido monitorado pela NASA, e até agora, mais de 30 marcos específicos relacionados ao hardware foram concluídos, abrangendo áreas como geração de energia, desenvolvimento de sistemas de orientação, propulsão e suporte de vida.

O avanço contínuo da SpaceX é vital para a NASA, que aguarda o cumprimento de uma série de lançamentos bem-sucedidos antes de autorizar a missão Artemis 3. O comprometimento e os progressos da empresa de Elon Musk são elementos cruciais para o sucesso das futuras explorações lunares com astronautas.