Atualmente cientistas planetários têm tentado entender Marte para descobrir se em algum momento do passado o planeta já foi capaz de abrigar vida. Mas esse interesse não é recente, e em 1924, os Estados Unidos já desligaram todos os seus rádios para que pudessem encontrar vida alienígena inteligente no planeta vermelho.

Para quem tem pressa:

  • A Terra e Marte ficam muito próximas a cada 26 meses;
  • Em um desses momentos os pesquisadores resolveram buscar por sinais de vida inteligente;
  • As crenças se deram porque se acreditava que existiam construções no Planeta Vermelho;
  • Por causa disso, os astrônomos resolveram buscar por sinais de rádio emitidos pelos supostos marcianos;
  • O resultado é bem óbvio: nada foi encontrado.

Aproximação da Terra e Marte

(Crédito: BT Image/ Shutterstock)

A cada 26 meses, Marte e a Terra fazem aproximações relativamente próximas um do outro, por exemplo, em 2003, os dois planetas estiveram há apenas 55,7 milhões de quilômetros de distância, o mais próximo nos últimos 60 mil anos. Em 1924 eles ficaram quase tão próximos quanto isso.

De acordo com o IFLScience, durante esse momento, o governo e os pesquisadores aproveitaram para procurar vida inteligente em Marte. Isso não foi feito olhando seus telescópios para lá, mas sim buscando por sinais de rádio que civilizações alienígenas poderiam estar enviando a partir do Planeta Vermelho.

publicidade

Apesar de atualmente essa ideia parecer estranha, na época, acreditava-se que existiam sinais de construções alienígenas em Marte. 

Vida inteligente no Planeta Vermelho

marte
(Crédito: Andrey Yurlov / Shutterstock.com)

Desde muito tempo, os astrônomos acreditam que no passado, Marte foi coberto por oceanos. A ideia de civilizações alienígenas começou quando Giovanni Schiaparelli fez mapas apontando que o planeta possuía canais que atravessam o planeta, e Percival Lowell, em 1894, sugeriu que esses canais fossem construídos por extraterrestres inteligentes.

É uma consequência direta disso que o planeta é atualmente a morada da vida construtiva inteligente. Posso dizer a este respeito que a teoria de tal vida em Marte não foi de forma alguma uma hipótese a priori da minha parte, mas sim deduzida do resultado da observação, e que as minhas observações desde então a confirmaram plenamente. Nenhuma outra suposição está em consonância com todos os fatos aqui.

Percival Lowell, em resposta ao The New York Times, em 1907

Apesar de muitos astrônomos da época discordarem dessa ideia, existiam aqueles que acreditavam que os apontamentos de Lowell eram reais, e que o contato com essas potências civilizações alienígenas em Marte, poderia ser feito por rádio. Assim, em 1924, a humanidade fez sua primeira busca por sinais de rádio extraterrestres.

Leia mais:

Dia Nacional do Silêncio no Rádio

terra-marte-diferencas
(Crédito: Dotted Yeti/ Shutterstock)

O dia em que os sinais foram buscados ficou conhecido como “Dia Nacional do Silêncio no Rádio” e enquanto a Terra e Marte se aproximavam um do outro, o governo americano pediu que o público fizesse silêncio em seus rádios durante os primeiros cinco minutos de cada hora.

Durante esse momento, os astrônomos ficaram atentos aos rádios, esperando por qualquer potencial sinal dos marcianos.

Nenhum sinal foi captado, porque como sabemos atualmente, não existe vida inteligente em Marte. Além disso, parece pouco provável que os marcianos escolheriam se comunicar por rádio, sendo outros sinais muito mais prováveis.

Apesar do fracasso, essa foi uma das primeiras tentativas de encontrar vida extraterrestre inteligente. Algumas dessas buscas se fazem presentes até hoje e quem sabe no futuro alguma outra civilização alienígena pode ser encontrada — se elas existirem.