Uma noite mal dormida deve te deixar sonolento, indisposto e provavelmente mal-humorado. Uma semana inteira mal dormida… você provavelmente se sentirá 10 anos mais velho do que realmente é. Um estudo descobriu que isso é cientificamente verdade e a privação de sono realmente altera a percepção sobre a nossa idade. A solução é simples: dormir causa o efeito contrário, e nos faz sentir mais novos.

Leia mais:

publicidade

Como dormir ajuda na “idade”

O estudo descobriu que a percepção da própria idade não é algo apenas subjetivo, mas também tem a ver com o funcionamento do corpo.

Por exemplo, como explica uma das pesquisadoras, dormir é essencial para o funcionamento do cérebro e para o bem-estar geral. Não preservar esse funcionamento modifica a sensação de juventude, porque modifica a disposição do corpo.

publicidade

Veja como o estudo foi feito:

  • A pesquisa recrutou 429 pessoas com idades entre 18 e 70 anos;
  • Eles foram questionados sobre sua idade, há quantos dias no último mês não dormiram o suficiente e se estavam com sono;
  • A conclusão foi que, para cada noite mal dormida, os participantes sentiam-se em média 0,23 anos mais velhos.
(Imagem: Vitória Gomez via DALL-E/Olhar Digital)

O sono é realmente o vilão?

Esse foi um questionamento feito pelos pesquisadores. Afinal, poderia haver outro fator que estava fazendo os participantes se sentirem mais velhos.

publicidade

Não foi esse o caso:

  • O estudo analisou 186 participantes com idades entre 18 e 46 anos;
  • Eles tiveram que ficar dois dias dormindo mal, apenas quatro horas por noite. Depois, dois dias dormindo bem, nove horas por noite;
  • Os pesquisadores voltaram a questioná-los sobre suas percepções de idade. Segundo o Medical Xpress, depois da privação de sono, os indivíduos relataram se sentir em média 4,4 anos mais velhos do que quando dormiram por nove horas;
  • Isso tem a ver com os efeitos que o sono causa no corpo. O sentimento de alerta extremo quando dormem bem fez os participantes se sentirem quatro anos mais novos. Já o de sonolência extrema os fez sentir seis anos mais velhos.
Homem dormindo com feição de tranquilidade e segurando o edredom
(Imagem: Pexels)

Conclusão

Segundo Leonie Balter, investigadora do Departamento de Psicologia da Universidade de Estocolmo, responsável pela pesquisa, zelar pela boa qualidade do sono é essencial para manter a jovialidade e o funcionamento do corpo.

Proteger o nosso sono é crucial para manter uma sensação de juventude. Isto, por sua vez, pode promover um estilo de vida mais ativo e encorajar comportamentos que promovam a saúde, uma vez que se sentir jovem e alerta é importante para a nossa motivação.

Leonie Balter