Arqueólogos localizaram uma cabeça esculpida em mármore de Apolo, o antigo deus grego do Sol, da cura, da música, do arco e flecha e da profecia. A escultura está em ótimo estado de conservação e data de 1.800 anos.

Leia mais

publicidade
Peça foi localizada nas ruínas da cidade de Filipos, na Grécia (Imagem: divulgação/Ministério da Cultura da Grécia)

Escultura adornava fonte de cidade bizantina

O achado aconteceu durante escavações realizadas nas ruínas da histórica cidade de Filipos, na Grécia. A descoberta foi anunciada pelo Ministério da Cultura da Grécia.

Segundo os pesquisadores, a cabeça foi esculpida no século II ou início do século III e, provavelmente, adornava uma fonte antiga da cidade grega. A análise da peça pode ajudar a entender melhor a composição das obras de arte clássicas e romanas nas cidades do Império Bizantino.

publicidade

Os bizantinos são oriundos do Império Romano do Oriente e sua cultura era uma mistura de influências romanas, helenísticas e orientais. O Império Bizantino teve duração de quase 11 séculos (de 330 a 1453 d.C.) e foi derrotado após a invasão dos povos turco-otomanos.

Apolo, deus grego do Sol, da cura, da música, do arco e flecha e da profecia (Imagem: Gilmanshin/Shutterstock)

Outras descobertas feitas no local

  • Nas mesmas ruínas, arqueólogos já encontraram uma estrada pavimentada em mármore e uma moeda de bronze do Imperador Leão VI, que comandou os bizantinos entre os anos 886 a 912.
  • Além disso, uma estátua de Hércules, herói grego da mitologia, com uma clava fragmentada e um leão, datada da mesma época que a cabeça de Apolo, também foi localizada.
  • Segundo os pesquisadores, não é possível concluir (pelo menos neste momento) que as esculturas tenham aluga relação.
  • No entanto, eles já sabem que estas peças eram consideradas como obras de artes antigas que atestavam a continuidade histórica e cultural dos povos daquela época.
  • As informações são da Revista Galileu.