Um bilionário do mercado imobiliário de luxo dos EUA e um explorador das profundezas do oceano planejam viajar num submersível para explorar os escombros Titanic. Afinal, o que poderia dar errado?

Bilionários querem explorar escombros do Titanic num submersível

  • Larry Connor, magnata imobiliário, e Patrick Lahey, cofundador da Triton Submarines, planejam explorar os escombros do Titanic usando o submersível Triton 4000/2 Abyssal Explorer, que pode alcançar profundidades de até quatro quilômetros;
  • A expedição só ocorrerá após a certificação completa do submersível por uma organização marítima. Atualmente, não há cronograma definido para a expedição;
  • Em junho de 2023, o submersível Titan, da OceanGate, implodiu a caminho do Titanic, resultando na morte de cinco pessoas, incluindo o CEO Stockton Rush. Este evento abalou a indústria de submersíveis privados;
  • A dupla espera que uma expedição bem-sucedida ao Titanic possa revitalizar o interesse pelo turismo de submersíveis. “Quero mostrar às pessoas em todo o mundo que, embora o oceano seja extremamente poderoso, ele pode ser maravilhoso”, disse Connor.

O magnata e aventureiro de Ohio, Larry Connor, e Patrick Lahey, cofundador da Triton Submarines, dizem que querem levar um submersível a uma profundidade de cerca de 3,8 mil metros para ver o naufrágio no Oceano Atlântico Norte.

publicidade

Leia mais:

A indústria de submersíveis privados foi abalada após cinco pessoas morrerem quando um veículo construído pela OceanGate implodiu a caminho do Titanic em junho de 2023.

publicidade

‘Embora oceano seja poderoso, pode ser maravilhoso’, diz bilionário que quer ver o Titanic

Bilionários que querem explorar escombros do Titanic
Os bilionários Larry Connor (esq.) e Patrick Lahey (dir.) querem explorar os escombros do Titanic num submersível (Imagem: The Connor Group)

Um porta-voz da empresa de Connor disse que a viagem proposta só acontecerá uma vez que o submersível esteja totalmente certificado por uma organização marítima. E não há um cronograma para a expedição planejada.

A dupla planeja usar um submersível apelidado de Triton 4000/2 Abyssal Explorer – o “4000” refere-se à profundidade (em metros) à qual a embarcação consegue trafegar com segurança.

publicidade

Connor disse ao Wall Street Journal que foi o primeiro a falar sobre a expedição proposta da Triton: “Quero mostrar às pessoas em todo o mundo que, embora o oceano seja extremamente poderoso, ele pode ser maravilhoso, agradável e realmente transformador se você fizer da maneira certa.”

O desastre do submersível Titan, da OceanGate, em 2023

Submarino Titan, que sumiu perto do Titanic, debaixo d'água, visto de lado
O submersível era feito de fibra de carbono e podia mergulhar até 1,3 km – muito aquém da profundidade do local onde o Titanic está (Imagem: Reprodução/OceanGate)

O submersível Titan, construído pela OceanGate, era feito de fibra de carbono e foi certificado apenas para mergulhar até 1,3 mil metros, muito aquém da profundidade onde o naufrágio do Titanic está localizado.

publicidade

Em junho de 2023, a embarcação implodiu enquanto estava numa viagem rumo aos destroços do Titanic. O CEO da OceanGate, Stockton Rush, de 61 anos, morreu a bordo, junto a outros quatro passageiros.

Junto ao CEO, estavam: o empresário britânico-paquistanês Shahzada Dawood, de 48 anos, e seu filho Suleman, de 19 anos, o empresário britânico Hamish Harding, de 58 anos, e Paul-Henry Nargeolet, de 77 anos, ex-mergulhador da marinha francesa. Autoridades dos EUA e do Canadá ainda investigam o caso.

A indústria de submersíveis privados sofreu após o desastre do Titan. E a dupla espera que uma viagem bem-sucedida reacenda o interesse por esse tipo de turismo.