A BYD pode ultrapassar a Tesla nas vendas em 2024 e aumentar a participação no mercado de carros elétricos. Pelo menos é o que aponta uma pesquisa da Counterpoint Research divulgada nesta terça-feira (2).

“Essa mudança ressalta a natureza dinâmica do mercado global de veículos elétricos”, disseram analistas.

publicidade

Leia mais:

Vendas da BYD no segundo trimestre de 2024

  • As vendas de EVs da gigante chinesa no segundo trimestre saltaram quase 21%;
  • Foram 426.039 unidades, segundo cálculos da CNBC.
  • Já a Tesla registrou queda de 4,8% no mesmo período (443.956 veículos).
BYD
A BYD já superou a Tesla em produção no ano passado, mas perdeu o posto de principal fornecedora de veículos elétricos para a montadora de Elon Musk no primeiro trimestre. Imagem: Robert Way/Shutterstock

Vale recordar que a produção total da BYD, somando elétricos e híbridos, foi acima de 3 milhões de veículos em 2023, contra 1,84 milhão de carros da Tesla. Considerando apenas os elétricos, foram 1,6 milhão de unidades fabricadas pela empresa chinesa, o que ainda deixou a montadora de Elon Musk no topo.

publicidade

China continuará dominando o mercado de carros elétricos

A Counterpoint acrescenta que a China “continua sendo uma força dominante” no mercado de carros elétricos, com a BYD liderando o caminho. As vendas de EVs no país podem ficar até quatro vezes acima da América do Norte, diz o relatório.

Os chineses também devem deter mais de 50% da participação de mercado nas vendas globais de veículos elétricos até 2027, superando as vendas combinadas da América do Norte e Europa em 2030, segundo os analistas.

publicidade
Carros elétricos da Tesla em galpão
As vendas globais de carros elétricos devem atingir 10 milhões de unidades em 2024, aponta o relatório. Imagem: ice_blue/Shutterstock

Por fim, a diretora associada da Counterpoint Research, Liz Lee, espera que as novas tarifas da União Europeia para veículos elétricos chineses nivelem as condições para fabricantes europeus de veículos elétricos, que lutam para competir com a avalanche de automóveis chineses de baixo custo.