Os rovers marcianos fazem parte das descobertas espaciais empolgantes que estão acontecendo em nosso tempo. E, quando se trata de colocar pessoas em Marte, a NASA quer enviar seres humanos para o planeta vermelho até 2030.

Felizmente para os interessados, muitos cientistas consideram Marte e a Terra gêmeos devido às semelhanças entre os planetas. Entretanto, eles não são totalmente iguais, e Marte também não é exatamente acolhedor à vida humana. E, no que diz respeito às diferenças, viver no planeta vermelho exigiria novos equipamentos e tecnologias que ainda estão em desenvolvimento.

publicidade

É possível viver em Marte? 4 problemas que vamos enfrentar no planeta

Sirenum Fossae (fossa na superfície marciana) via NASA/Unsplash
Sirenum Fossae (fossa na superfície marciana) via NASA/Unsplash

Marte, muitas vezes chamado de planeta vermelho devido à sua aparência avermelhada por causa do óxido de ferro em sua superfície, é o planeta mais parecido com a Terra em nosso sistema solar. Sobreviver em Marte exigiria ultrapassar imensos obstáculos tecnológicos, mas, como eles não são necessariamente impossíveis, um dia poderemos estabelecer a presença humana no planeta.

Ainda assim, alguns desafios precisariam ser superados antes que os seres humanos pudessem começar a chamar Marte de lar. Precisamos considerar muitas coisas quando se trata das diferenças entre a Terra e Marte, todas baseadas em nossas necessidades básicas de sobrevivência.

publicidade

Leia também:

A atmosfera e a radiação são impiedosas

Presença de água no Sistema Solar, imagem do planeta Marte
Imagem: sergei voevitko/Shutterstock

A atmosfera da Terra é composta de nitrogênio e oxigênio. Marte, por outro lado, tem sua atmosfera composta principalmente de dióxido de carbono. Isso representa um desafio significativo para a sobrevivência humana, principalmente por oferecer pouca proteção contra a radiação solar.

publicidade

Portanto, para que os seres humanos sobrevivam no planeta, precisaríamos de uma tecnologia que nos protegesse da radiação – e isso ainda está longe de ser totalmente desenvolvido. Esse pode ser um dos maiores problemas a serem enfrentados. Uma das soluções consideradas para isso seriam habitats enterrados em 2 a 3 metros no subsolo.

Humanos precisam de oxigênio 

A Terra fornece bastante oxigênio em nossa atmosfera, 21% do ar é oxigênio, o que a torna o local ideal para a vida humana. Em Marte, no entanto, o oxigênio representa 0,13% do ar. A maior parte é dióxido de carbono, que é prejudicial aos seres humanos. Além disso, o ar em Marte é mais rarefeito do que na Terra.

publicidade

Portanto, um dos maiores desafios quando se trata de colocar pessoas no planeta é a escassez de oxigênio. Por esse motivo, o rover Perseverance da NASA realizou um experimento chamado MOXIE (Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment) que, até agora, produziu com sucesso oxigênio a partir da atmosfera rica em dióxido de carbono de Marte.

Mars Dune Alpha, o habitat impresso em 3D que simula as condições de Marte. Crédito: NASA

Faz frio em Marte toda noite

Marte está mais distante do Sol do que a Terra. Essa distância extra torna Marte muito frio, frio demais para sustentar a vida humana. Com uma média de -65ºC, as temperaturas marcianas variam de 20°C a -153°C.  

O planeta vermelho também tem tempestades de areia, com ventos fortes de mais de 110 km/h, que levantam o solo avermelhado e enferrujado de Marte. Portanto, não apenas precisaríamos de espaços climatizados, mas eles teriam de ser fortes o suficiente para nos proteger dessas tempestades.

Faltam três itens básicos para a nossa sobrevivência

Água, comida e abrigo são três dos aspectos mais básicos para a vida humana. Os cientistas encontraram água em Marte, mas não na mesma forma que é encontrada na Terra. Há um pouco de água na superfície marciana e abaixo dela, mas devido ao frio extremo, é tudo gelo. Além disso, em Marte, o gelo contém gelo de água misturado com gelo de CO2.

O cultivo de alimentos em Marte também seria complicado. As plantações precisariam ser feitas sem solo, como a agricultura em tanques ou a aquicultura. Nesse caso, o alimento seria plantado em água rica em nutrientes e alimentado com luzes artificiais. Alguns cientistas discutiram também a criação de estufas com uma atmosfera mais adequada para o cultivo de alimentos em Marte.

O personagem de Matt Damon cultivando batatas no filme “Perdido em Marte” – cultivo de plantas será imprescindível para colonização humana de Marte. Crédito: 20th Century Fox/Allstar

Para a construção dessas estufas e de abrigo, o transporte de materiais de construção da Terra para Marte seria muito caro. Por isso, os cientistas propõem a possibilidade de usar materiais do próprio planeta. Como mencionamos, as construções em Marte precisariam suportar os níveis de radiação, as flutuações de temperatura, a falta de oxigênio e outras condições. Além de viver debaixo do solo, outra possibilidade é que os seres humanos poderiam viver em iglus de gelo.

Sobreviver é o suficiente?

Embora conseguir sobreviver em Marte seja um grande desafio por si só, é importante lembrar que sobreviver não é o mesmo que prosperar. Embora as tecnologias possam nos permitir sobreviver, a criação de sociedades humanas autossustentáveis e prósperas em Marte continua sendo um objetivo muito, muito distante.