Vamos supor que você leve 45 minutos para chegar andando ao trabalho. Mas certo dia, acorda atrasado e precisa ir correndo os 3 km até o local, chegando em 20 minutos. Apesar de fazer o mesmo trajeto, certamente ficará mais cansado. Por que será que isso acontece? Qual a diferença entre andar e correr nessa situação?

Esse mistério foi respondido em 1970, quando os cientistas utilizaram um cálculo científico para descobrir o “custo metabólico” de ambas as atividades. O método analisa o consumo de oxigênio e a produção de dióxido de carbono do corpo para encontrar o valor de energia gasta pelos nossos órgãos para percorrer uma determinada distância.

publicidade
Projeto promete fazer com que pessoas cegas possam correr sem assistência
Ao correr, nosso corpo faz um esforço diferente, portanto, o resultado também é diferente, mesmo que o trajeto percorrido seja o mesmo. – Foto: lzf/Shutterstock

Enfim, qual a diferença entre correr e andar o mesmo trajeto?

  • Quando corremos, nosso corpo precisa realizar movimentos e um esforço diferente.
  • É preciso colocar mais força nos membros inferiores para mover o corpo para cima e ganhar impulso, consequentemente, parte da energia é consumida nesse movimento.
  • Enquanto isso, ao andar, movemos o corpo numa direção só. Ou seja, existe menos oscilação e, logo, menos energia é consumida.
  • Além disso, depois de um exercício, o corpo continua a consumir energia mesmo estando em repouso.
  • No caso da corrida, esse gasto energético prolongado dura alguns minutos a mais devido à temperatura corporal e reposição das reservas de energia.
  • A energia consumida após a corrida é mais que o dobro do que a da caminhada.
A diferença de movimento do corpo ao andar e correr – Imagem: François Dernoncourt/Fourni par l’auteur

Leia mais:

Correr queima mais calorias, porém depende da velocidade

Correr gasta mais energia e consequentemente queima mais calorias do que caminhar para a mesma distância, mas isso depende da velocidade. Se ela for “normal” (em torno de 5 km/h), provavelmente esse será o resultado.

publicidade

No entanto, se a velocidade da caminhada for muito lenta, pode aumentar o gasto calórico devido ao tempo extra que levará para percorrer o trajeto. Isso acontece porque a quantidade de energia consumida por unidade de tempo, normalmente, fica na mesma média. Ou seja, quanto mais tempo levar numa atividade, maior será o gasto. A regra é a mesma para caminhar muito rápido (acima de 8 km/h). Se você chegar ao local desejado em menos tempo, também gastará menos energia.

Inclusive, a troca de andar para correr em uma atividade como a feita na esteira geralmente acontece quando caminhar se torna mais cansativo. É exatamente quando se chega ao ponto em que, em certa distância percorrida, andar consumirá uma maior quantidade de energia.

publicidade

Concluindo tudo, correr consome mais energia do que andar o mesmo trajeto, mas tudo depende da velocidade. De qualquer modo, o importante é: seja caminhando ou correndo, você está se mantendo ativo! É o que diz Clément Lemineur, Doutor em Ciências do Movimento Humano pela Université Côte d’Azur em artigo publicado no The Conversation.