Notebooks
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Seu micro precisa de aposentadoria?

Joao Carlos Guirau 15/04/2019 12h00

A aposentadoria de um equipamento deve se dar no momento em que ele nos torna improdutivos.

Em tempos de discussões acaloradas em nossa sociedade, me chamou a atenção o tema da aposentadoria. Calma.. não estou falando da aposentadoria profissional, mas dos equipamentos que utilizamos.  Diariamente em contato com nossos clientes, o que mais escuto é:

“Não dá para esticar um pouco mais o tempo de uso deste micro ? “

“Se trocar umas peças ele não dura mais um pouco ?

“realmente precisamos trocar nossa infraestrutura de TI ?”

Quando adquirimos um bem, com certeza, queremos utilizar ele pelo maior tempo possível e ao mesmo tempo, utilizar de todos os recursos mais novos. Com equipamentos antigos, fica claro que essa combinação não vai funcionar.

A rapidez com que se dá a evolução tecnológica, torna os equipamentos e os programas obsoletos ou defasados muito rapidamente. O que precisamos avaliar é o quando e porque precisamos substituir ou aposentar um equipamento. Mais uma vez vamos analisar as situações em que os computadores são utilizados – para uso pessoal, profissional e empresarial.

Para uso pessoal, normalmente as pessoas procuram adquirir um equipamento de menor custo, cujo componentes – processador, memória e disco rígido – são de menor performance. Com o passar do tempo, com as atualizações corriqueiras dos programas (sistema operacional, antivírus, Microsoft Office ou similar, programas básicos para edição de imagens, reprodução de vídeo, etc) eles vão se tornando mais pesados, e consequentemente, tornando os equipamentos mais lentos.

O que temos percebido em nosso dia-a-dia, é que, em média, um equipamento pessoal, com uso diário, começa a apresentar lentidão após 18 meses de uso.  Neste caso, muitas vezes a garantia do fabricante já venceu, e a atualização de componentes como memória, o HD por um SSD, no caso de desktops, é possível acrescentar uma placa de vídeo dedicada, e com isso melhorar o desempenho de todo o conjunto. Em media um equipamento para esta finalidade tem a duração de 3 a 5 anos.

Para uso profissional, o mais importante é saber escolher o equipamento e os componentes na hora da compra. Um bom dimensionamento na hora da aquisição – Processador, memória, discos e placa de vídeo – irão permitir o uso deste equipamento por mais tempo e com boa performance, permitindo ainda a sua atualização ou reutilização deste equipamento para um outro uso. Optando pela garantia estendida do fabricante para estes equipamentos, podemos assegurar o bom uso dos mesmos por até 5 anos.

Para uso empresarial, além dos fatores acima, devemos considerar ainda a depreciação do ativo (perda de valor) e em muitos casos, a utilização de um computador numa empresa pode mudar ao longo de 3 a 5 anos, necessitando de maior poder de processamento, dependendo da evolução tecnológica dos programas utilizados e dos níveis de segurança exigidos para cada atividade empresarial. Daí a necessidade de uma atualização constante e o remanejamento de equipamentos, permitindo o uso de acordo com o perfil e a necessidade de cada usuário.

Os maiores enganos ou erros que encontramos no nosso dia-a-dia de suporte às empresas, é que muitos empresários querem utilizar os recursos mais modernos em equipamentos obsoletos, justificando que tudo funcionava bem. É claro que isso não vai dar certo e irá tornar os profissionais improdutivos. E qual o valor desta perda de produtividade em termos financeiros para a empresa ? Como se trata de um valor intangível, muitos empresários não enxergam esta perda – de tempo e financeira – ao considerar seus investimentos em TI.

Como exemplo, podemos citar o último processo de atualização do Windows – Windows 7 para o Windows 10 – A Microsoft liberou a atualização gratuita durante um determinado tempo, e muitas pessoas atualizaram seus equipamentos sem considerar se ele comportaria tais atualizações. Num primeiro momento, muitos equipamentos até funcionaram, mas em pouco tempo tornaram-se impossíveis de serem utilizados, devido a sua lentidão e à incompatibilidade de muitos componentes.

Daí a importância em validar a necessidade das atualizações e efetuá-las de modo planejado, sem que afete o uso dos equipamentos ou que ajude a determinar a sua substituição.

Em todas as situações, devemos considerar a necessidade de evolução, a obsolescência e os riscos de segurança em se manter um parque desatualizado. A aposentadoria de um equipamento deve se dar no momento em que ele nos torna improdutivos.

Quanto tempo perdemos, esperando um equipamento ligar, ou processar qualquer atividade e perdemos horas de nossos dias, quando poderíamos ser muito mais produtivos ?

Poucas pessoas param para avaliar quanto tempo perdem, utilizando equipamentos lentos, obsoletos, sem considerar os riscos de perder seus dados, ao manterem equipamentos sem as atualizações de segurança ou desatualizados.

Se seu computador tem mais de 3 anos, não passou por nenhuma revisão ou atualização e você está esperando para trabalhar... está na hora de avaliá-lo, efetuar uma atualização ou talvez seja o momento de aposentá-lo, afinal de contas, todos um dia, teremos um merecido descanso e aposentadoria.

PCs
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você