Saiba escolher uma placa de vídeo para o seu PC

A cada novo lançamento de placas de vídeo as dúvidas dos consumidores sobre qual modelo comprar aumentam. Em teoria, diversas marcas prometem gráficos bonitos e performance potente com seus produtos. Na prática, no entanto, não é bem assim. Por esse motivo, o Olhar Digital explica o que você deve considerar antes de comprar uma nova placa de vídeo para a sua máquina.

Primeiramente, é preciso dizer que a placa de vídeo não faz milagre. Pense no computador como um corpo humano, mesmo que o coração bata forte, o cérebro, os rins e outros órgãos também precisam funcionar para que tudo esteja perfeito.

Sendo assim, se você quer rodar os últimos lançamentos de games da nova geração na melhor qualidade possível, é preciso investir também em memória RAM, processador, dispositivos de armazenamento e até em um monitor mais parrudo.

Ela é compatível?

Não adianta comprar a melhor placa de mercado, gastar uma fortuna e perceber que ela não pode ser instalada no seu PC. As placas são conectadas diretamente à placa-mãe do computador e, por isso, é preciso saber quais conectores estão disponíveis no componente.

Reprodução

Os modelos mais atuais utilizam o encaixe PCIe 16x, mas algumas placas usam interfaces AGP e PCI 3.0. Alguns sites como o PC Specs ajudam nessa tarefa de identificação listando as placas compatíveis com cada modelo de placa-mãe. 

Potência

Neste ponto há alguns dados que precisam ser analisados. O primeiro deles é a GPU, também conhecida como Graphics Processing Unit (Unidade de Processamento Gráfico, na tradução). Quando maior o resultado aqui, melhor será o desempenho da placa para processar imagens gráficas e atualizá-las na tela. O dado é medido em MHz e pode ser descrito pelo fabricante como clock da GPU ou clock da VPU.

A informação mais procurada pelos consumidores ao buscar uma placa de vídeo é a quantidade de memória que ela oferece. Esse atributo serve para armazenar as informações visuais durante a jogatina. Placas de 2 GB são superiores a placas de 1 GB. Até aqui é fácil, porém algumas delas contam com componentes com interface de 256 bits, ao invés de 128 bits e a memória é armazenada em módulos GDDR5, ao invés de DDR3.

Reprodução

Dessa forma, uma placa com menor quantidade de "GB" pode sim ser superior a concorrente com o dobro desse número, mas com interface e módulos antigos. Para quem não sabe, GDDR5 é uma tecnologia mais atual do que a DDR3. Por isso, analise esse aspecto, mas também não force a barra para escolher uma de placa de vídeo de 512 MB em detrimento de uma de 4 GB.

Uma boa maneira de analisar o funcionamento de uma placa é procurar serviços na internet com os resultados de benchmark do produto desejado. Existem diversas páginas que realizam o serviço, tais como a Videocard Benchmarks ou o Tom's Hardware.  

Série e frequência

As placas de vídeo não são simplesmente definidas em 128 MB, 2 GB, 4 GB e por aí vai. Elas também variam de acordo com a geração na qual foram lançadas. Por isso são divididas em “séries”. No caso das placas GeForce, a série é descrita no primeiro número. Por exemplo, a GeForce 820 é uma placa de oitava geração, enquanto a GeForce 340 é da terceira. Os números “20” e “40” no exemplo acima referem-se ao modelo da placa.

Em outro exemplo, agora com uma peça da AMD, veja que a Radeon HD 6790 tem clock de 840 MHz, largura de banda de 256 bits e clock de memória de 4,2 GHz. Apesar de ser mais antiga do que o modelo 6850, ela entrega mais potência já que a mais nova tem clock de 775 MHz, largura de banda de 256 bits e clock da memória de 4,2 GHz.

Overclock

O overclock, por sua vez, é um recurso que pode aumentar o valor do clock da placa forçando-a para produzir mais potência. Seria como forçar um motor de um carro a trabalhar de forma mais forte ininterruptamente. Se por um lado ele pode entregar resultados melhores, por outro pode acabar ficando exausto e apresentar problemas a médio e longo prazo, já que não foi produzido para trabalhar nessa potência de forma normal. Tenha em mente que essa funcionalidade deve ser usada apenas para momentos específicos, e não duranet todo o tempo.

Marca e preço

AMD e Nvidia atualmente dominam o mercado e produzem boas placas para fins de trabalho e diversão. A escolha de uma marca frente a outra não influencia tanto se as capacidades de execução gráficas de ambas forem equivalentes.

Reprodução

O valor é outra questão que deve ser considerada. Uma GeForce GTX 1080, por exemplo, sai por R$ 1.800 no varejo online. É uma quantia que precisa ser considerada, principalmente para quem vai investir na placa buscando rodar jogos atuais. Para efeito de comparação, é possível encontrar videogames como o PlayStation 4 e o Xbox One pelo mesmo preço na internet.

Saídas

Outro aspecto a ser considerado são as saídas que o hardware oferece para que o computador seja conectado a um monitor ou televisor externo. Enquanto as placas mais antigas contam com saídas HDMI, que oferecem qualidade superior na exibição de imagens e som, outras oferecem somente saída VGA, tecnologia ultrapassada que transmite somente imagem, sem som. Fuja dessas.

 

Perfil do usuário

Antes de comprar a placa, você precisa analisar qual o seu perfil no computador. Se busca um hardware que possibilite a execução e manipulação de programas de edição de vídeo e imagens, você não precisará gastar tanto quando alguém que busca placas que possam abrir os jogos de última geração nas configurações mais avançadas.

Vai às compras na BlackFriday? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ