Talvez você já tenha lido isso antes, mas o Pentágono tem um grupo que está investigando UFOs/UFOs. Não, agora “é sério”, já que o órgão ligado ao exército dos Estados Unidos anunciou formalmente a criação de uma força-tarefa exclusivamente dedicada à “investigação de fenômenos aéreos não identificados”, na última terça-feira (23).

O Pentágono criou o grupo no intuito de – nas palavras do comunicado divulgado por eles – “detectar, identificar e atribuir objetos em espaços aéreos restritos, bem como minimizar possíveis ameaças a voos militares”. Embora o órgão não mencione isso diretamente, o anúncio provavelmente tem a ver com um relatório sobre avistamentos de UFOs divulgado em junho deste ano – e que deixou mais perguntas que respostas.

advertising

Read also

Imagem divulgada pelo Pentágono mostra um OVNI. Grupo dedicado vai cuidar de investigações de objetos do tipo
Relatos de OVNIs por pilotos militares dos EUA serão investigados por um grupo exclusivo dentro do Pentágono (Imagem: US Department of Defense/Divulgação)

De acordo com Kathleen H. hicks, secretária interina de defesa, o grupo será chamado “Airborne Object Identification and Management Synchronization Group” (“Grupo de Identificação e Gerenciamento Sincronizado de Identificação de Objetos Aéreos”, na tradução livre). Ele atuará sob a supervisão de um conselho executivo formado por oficiais da Secretaria de Defesa dos EUA, do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos (Joint Chief of Staff) e membros sênior da Diretoria de Inteligência Nacional (que, por si, supervisiona atividades da CIA, NSA e outras áreas da inteligência militar norte-americana).

O Pentágono dá a entender, porém, que a ação do grupo não será relacionada a “qualquer” avistamento de objetos voadores não identificados, mas apenas aqueles ocorridos em espaços aéreos restritos. Essa classificação específica inclui voos de aviões de caça, áreas de testes e treino de armas e outros usos restritos à população civil. Isso porque, segundo Hicks, “fenômenos aéreos” ocorridos nessa área são entendidos como “potenciais ameaças à segurança nacional”.

A medida vem após o lançamento do relatório de junho, onde o Pentágono recebeu críticas por supostamente não investigar a fundo cerca de 143 relatos de avistamento de objetos feitos por pilotos ligados ao governo norte-americano. De todos eles, 18 episódios específicos mencionam tecnologia desconhecida pelos EUA, como objetos se movendo sem um sistema de propulsão observável ou com propriedades de trajetória e aceleração incomuns não só à nação com o exército mais poderoso do mundo, mas também aos seus rivais – Rússia e China.

Já não é de hoje que o Pentágono anuncia “um grupo” para tratar desse assunto mais elusivo: em 2012, o órgão supostamente desligou um programa intitulado “Advanced Aerospace Threat Identification”, supostamente chefiado por um oficial chamado Luis Elizondo – que hoje, virou estrela de reality shows conspiratórios na TV americana. Em 2020, o Pentágono anunciou o grupo intitulado Unidentified Aerial Phenomenon Task Force – que ainda existe e, segundo Hicks, seria incorporado ao novo projeto anunciado na terça.

Have you watched our new videos on YouTube? Subscribe to our channel!