'Pedido do FBI coloca o mundo inteiro em risco', diz vice-presidente da Apple

O vice-presidente da Apple, Craig Federighi, defendeu firmemente a posição da empresa de tecnologia na briga judicial contra ao FBI no caso do desbloqueio da criptografia do iPhone de um dos atiradores do atentado em San Bernardino. Segundo ele, o pedido do órgão policial “coloca todos em risco”.

A declaração foi escrita em uma carta reproduzida no jornal norte-americano The Washington Post. Diferentemente dos argumentos de Tim Cook, presidente da companhia, que focam na questão da liberdade e do direito à privacidade dos usuários, a carta de Federighi aborda a questão da segurança das informações contra invasões digitais.

“Nos últimos 18 meses, hackers conseguiram quebrar defesas de empresas, bancos e até do governo federal para extrair informações de cartões de crédito e até registros de impressões digitais de milhões de pessoas”, lembrou o executivo.

A mensagem de Federighi ainda traz a informação de que o FBI sugeriu à Apple que o iOS 7, versão antiga do sistema operacional do iPhone, era “suficientemente bom” e que a gigante de tecnologia “deveria voltar a usar os dispositivos de segurança de 2013”.

Além disso, o executivo também lembrou que a intenção do FBI não é fazer com que a companhia abandone seus métodos de segurança, mas sim fazer com que a empresa crie uma ferramenta que possa quebrar a criptografia dos telefones sem a necessidade de contatar a fabricante para cada caso. “Se essa ferramenta cair nas mãos erradas, ela pode ser usada por criminosos ou governos hostis para coletar dados de smartphones roubados”, disse.

Via The Verge

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ