China teria quebrado acordo de cibersegurança com os EUA

Pelo menos sete servidores de empresas dos Estados Unidos foram atacados por hackers chineses nas últimas semanas, de acordo com a empresa de segurança CrowdStrike. Os ataques vieram depois da assinatura de acordo entre Obama e Xi Jinping no qual ambos os países se comprometiam a não realizar ciberespionagem.

No dia 25 de setembro, EUA e China se acordaram para cessar todas as operações de ciberespionagem que pretendessem roubar ou invadir informações comerciais de empresas. O acordo, porém continuou sendo mal visto por algumas autoridades dos Estados Unidos, que não acreditam que a China ira cessar as espionagens.

Dmitri Alperovitch, co-fundador da CrowdStrike, declarou à Reuters que acredita que os hackers estão ligados ao governo de Pequim. A empresa afirmou que está auxiliando os EUA nas investigações e se recusou a divulgar o nome das companhias espionadas.

A FireEye, outra empresa de cibersegurança dos Estados Unidos, afirmou que os chineses patrocinados pelo governo do país ainda estão ativos, mas que é muito cedo para dizer se seus objetivos mudaram. "É prematuro concluir que a atividade durante este curto período de tempo constitui espionagem econômica", declarou Vitor de Souza, representante da FireEye.

Via BusinessInsider

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ