Segurança

D-Wave 2000Q

Empresa de segurança digital compra computador quântico por US$ 15 milhões

Gustavo Sumares, editado por Leonardo Pereira 26/01/2017 11h01
Compartilhe com seus seguidores
A A A

A D-Wave Systems, uma das principais fabricantes de computadores quânticos do mundo, anunciou recentemente a disponibilidade comercial do seu modelo mais novo, o D-Wave 2000Q. A empresa anunciou também o primeiro comprador da novidade: trata-se da empresa de segurança digital Temporal Defense Systems (TDS), que pagou US$ 15 milhões por uma unidade.


Segundo o chefe de tecnologia da TDS, James Burrell, "a intenção [com a compra] é introduzir uma abordagem inteiramente nova aos desafios de cibersegurança existentes e emergentes". O computador quântico deverá ajudar a empresa a identificar e autenticar dispositivos com mais agilidade e precisão, identificar ameaças persistentes e prevenir vazamentos de informação por fontes internas.

Com a compra, a TDS se junta a empresas e organizações como o Google e a NASA, que já são clientes da D-Wave. A compra também inclui a possibilidade de atualizar o computador quando uma solução nova da D-Wave for lançada, o que é semelhante ao acordo que a empresa tem com outros clientes de seus computadores quânticos. 

2.000 qubits

O D-Wave 2000Q recebe esse nome por possuir um total de 2.000 qubits. Cada qubit é o equivalente a um "bit" dos processadores tradicionais. No entanto, enquanto um bit pode assumir os valores 1 ou 0, os qubits podem ser 1, 0 ou os dois ao mesmo tempo, por conta de sua natureza quântica. Isso faz com que um computador quântico com "apenas" 2.000 qubits seja melhor para resolver alguns problemas do que computadores tradicionais com trilhões de bits a mais que eles.

De acordo com a D-Wave, o 2000Q mantém a tradição da empresa de dobrar o número de qubits em suas máquinas a cada dois anos: o modelo anterior, o 1000Q, tinha 1.000 qubits. A empresa alega que ele "superou algoritmos competitivos clássicos em 1.000 a 10 mil vezes em tempo computacional puro". Em outras palavras, ele consegue resolver alguns problemas até 10 mil vezes mais rápido que PCs tradicionais.

Um aspecto interessante desse novo modelo é que, segundo a empresa, ele também pode ser usado em sistemas de aprendizagem de máquina. Como o Engadget aponta, Essa poderia ser uma das aplicações mais interessantes dos computadores quânticos para os consumidores finais: sistemas desse tipo, como redes neurais, precisam ser treinados antes de funcionar, e o computador da D-Wave poderia acelerar esse tempo de treinamento, deixando as redes muito mais inteligentes em menos tempo.

Dúvidas

Embora os computadores da D-Wave já sejam utilizados com alguma frequência, ainda há dúvidas entre a comunidade científica de que eles sejam tão melhores assim do que computadores tradicionais. Uma matéria da Nature ressalta que, embora eles sejam muito mais rápidos para resolver problemas feitos especificamente para eles, os computadores quânticos ainda não superam os métodos tradicionais em todas as situações.

Nos casos conhecidos como "problemas de otimização", porém, os computadores quânticos são inequivocadamente mais rápidos. Problemas desse tipo envolvem achar uma solução melhor envolvendo muitas variáveis, algo que computadores tradicionais levam muito tempo para fazer. Por isso, pesquisadores acreditam que 2017 será o ano em que será atingida a "supremacia quântica": isso ocorrerá quando um computador quântico resolver pela primeira vez um problema impossível para os computadores tradicionais.

Segurança Computadores Supercomputadores Ciência computação quântica
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você