Senador dos EUA quer proibir criptografia que o país não consiga quebrar

O senador dos Estados Unidos, John McCain, afirmou na última terça-feira, 17, que pretende mudar a legislação para proibir tecnologias de criptografia que o governo não consiga acessar. "Na comissão do senado teremos audiências sobre isso e vamos legislar. [O estado atual das coisas] é inaceitável", declarou.

A queixa de McCain se dá por conta das recentes ações das empresas de tecnologia do país, que estão desenvolvendo maneiras de criptografar e garantir que seus dados se mantenham longe do alcance das autoridades. A Apple, por exemplo, chegou a declarar que não consegue acessar as informações de usuários armazenadas nos smartphones que ela mesma fabricou, se não possuir a senha correta.

Governo x Empresas de tecnologia
De um lado, o governo dos EUA afirma que a criptografia como a da Apple pode tornar os dispositivos boas escolhas, por exemplo, para pedófilos e criminosos. Os ativistas que defendem a privacidade, no entanto, avisam que qualquer tentativa de enfraquecer a criptografia pode criar um precedente perigoso para governos autoritários de outros países.

Mesmo que seja aprovada, a proibição à criptografia pode ser de difícil execução, já que grande parte das ferramentas possuem código aberto ou são desenvolvidas fora das jurisdições do ocidente.

Via BusinessInsider 

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ