Um em cada quatro pontos Wi-Fi grátis pode colocar dados de usuários em risco

Um estudo divulgado pela Kaspersky Lab nesta segunda-feira, 5, mostra que um em cada quatro pontos de acesso Wi-Fi pode colocar as informações dos usuários em risco. A pesquisa analisou dados de mais de 31 milhões de pontos no mundo todo.

A empresa constatou que 25% das redes não usam nenhum tipo de criptografia ou senha. Assim, todo o tráfego transmitido, incluindo mensagens e documentos pessoais, pode ser interceptado por criminosos. 3% dos pontos de acesso usam o protocolo WEP, que pode ser decifrado em minutos por quem não possui grandes conhecimentos na área para criptografar dados. É importante lembrar, no entanto, que mesmo usando um protocolo seguro a rede pode ser interceptada, dependendo da força de sua senha.

Os 20 países com maior porcentagem de redes inseguras, segundo a Kaspersky, são destinos turísticos, como Estados Unidos, França e Tailândia. Portanto, quem viaja e depende desse tipo de conexão deve ficar atento.

"Recomendamos que todos os usuários fiquem alertas ao se conectar a redes Wi-Fi. Não usem pontos de acesso sem senha, nem pontos de acesso públicos para realizar atividades de alto risco, como transações bancárias, fazer compras on-line, se logar em sites ou transferir informações confidenciais. A interceptação desse tipo de tráfego por terceiros pode acarretar problemas sérios, inclusive prejuízos financeiros. E, claro, recomendamos enfaticamente o uso de outras medidas para proteger o tráfego, como a tecnologia de rede virtual privada", afirma Denis Legezo, especialista em antivírus da Kaspersky Lab.

Celular, fone de ouvido, notebook. A BlackFriday está recheada de ofertas, mas nem todas são vantajosas. Com a extensão do Olhar Digital, você encontra o menor preço e também cupons de descontos. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ