Jogador de 'Counter-Strike' é banido por mil anos por cometer assédio

Por Cleidson Lima e Janaína Ivo

Em uma ação que parece servir de aviso para quem costuma se comportar mal dentro da comunidade de jogadores, um homem especializado em "Counter-Strike" foi banido por um organizador de campeonatos por mil anos.

Quem acessar o perfil de Reece "Bloominator" Bloom na ESEA verá que o jogador, que é do Arizona (EUA) e tem 25 anos, ganhou um veto até as 18h12 do dia 5 de junho de 3016.

Reprodução

A plataforma informa apenas que Bloom está expulso por "atividade maliciosa", sem entrar em detalhes, mas o Kotaku reportou que provavelmente o jogador recebeu a punição por assediar uma garota de 15 anos. Os registros de conversa entre os dois mostram que ele enviava mensagens com frases como "há algo sobre ser capaz de influenciar mentes jovens" e "eu não ligo de ser um pedófilo".

Bloom era membro do time Armor eSports, que está em sexto lugar na divisão principal da ESEA. Porém, grande parte da sua reputação na comunidade de "CS" foi construída com o time Exertus, que fazia parte da ESEA Invite. Este último não existe mais, mas foi de lá que surgiram nomes como Mike “Shroud” Grzesiek e Jaryd “Summit1g” Lazar.

O jogador se pronunciou pelo Twitter (cuja conta já foi desativada), ressaltando que "não há desculpa" pelo seu comportamento. "Obviamente, foi incrivelmente estúpido da minha parte fazer o que eu fiz", continuou. "Espero que algumas pessoas possam me perdoar, mas eu entendo se isso não acontecer."

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ