7 jogos complexos e elaborados para smartphones

Os smartphones são às vezes vistos como plataformas inadequadas para jogos, dada sua capacidade técnica limitada em comparação com PCs e consoles e a prevalência de jogos simples e rasos para as plataformas móveis. Isso não significa, no entanto, que eles não ofereçam experiências bastante interessantes e diferentes de jogabilidade.

Selecionamos a seguir alguns jogos mais densos e profundos que você pode levar por aí no seu bolso. Buscamos evitar jogos que fossem exclusivos de uma única plataforma móvel (motivo pelos quais Device 6 e Infinity Blade ficaram fora da lista), além de franquias mais conhecidas e bem estabelecidas (como os jogos da série GTA).

Vale lembrar, no entanto, que essa maior profundidade dos jogos se traduz, geralmente, em exigências técnicas mais pesadas para os dispositivos. Nem todos os jogos a seguir rodarão em aparelhos mais antigos. Outra consequência é que, frequentemente, esses jogos são pagos. Tentamos, no entanto, evitar jogos que fossem excessivamente caros, e acreditamos que os selecionados abaixo valem o investimento. Confira a seguir:


Superbrothers: Sword & Sorcery EP (Android, R$ 12,48; iOS, US$ 4,99)

 

Um viajante misterioso que precisa obter objetos mágicos triangulares, e que pode viajar entre um mundo “real” e um mundo “dos sonhos”: essa é, basicamente, a história de Superbrothers: Sword & Sorcery EP. O jogo de ação e exploração se passa em um mundo surpreendentemente detalhado, criado num estilo pixel art bastante chamativo, e com uma trilha sonora envolvente.

Diferente da maioria dos jogos para smartphones, Superbrothers é uma experiência totalmente focada em narrativa. Seu personagem principal, chamado “Scythian”, se desenvolve de formas surpreendentes ao longo da história, e o elenco de personagens não-jogáveis, cujos pensamentos você pode ler, é bastante atraente.

O jogo também se integra de maneiras interessantes com as suas redes sociais, e utiliza o acelerômetro dos dispositivos de uma forma legal. E, apesar de seu foco na narrativa, ele se adequa bem às sessões de jogo mais curtas que se espera em aparelhos móveis. Se você se interessa por histórias mais elaboradas e experiências audiovisuais sofisticadas e diferentes, Superbrothers: Sword & Sorcery EP vale cada centavo.


Magic 2015 (Android, iOS, grátis)

Reprodução 

Se você colecionava as cartas maravilhosamente desenhadas de Magic: The Gathering e jogava contra seus amigos e amigas quando era mais novo, vai adorar saber (se já não sabe) que elas estão todas disponíveis em versão digital, num aplicativo grátis que cabe no seu smartphone. E se você não conhece as cartas, Magic 2015 é uma ótima introdução a esse jogo.

A jogabilidade de Magic gira em torno de derrotar seu adversário, usando para isso as criaturas e feitiços presentes nas cartas do seu baralho. Se ela aprece simples, não se deixe enganar: o jogo é extremamente profundo e estratégico. as primeiras cartas foram lançadas em 1993, e, desde então, o jogo só tem se adensado. Colecionar as cartas e expandir e organizar seu baralho, de forma a torná-lo ideal ao seu estilo de jogo, é uma das partes mais legais de Magic.

O jogo começa com um tutorial e, em seguida, oferece uma série de missões: uma espécie de campanha single-player. Essa campanha é gratuita, mas os modos de jogo multiplayer só podem ser acessados após um pagamento de US$ 10. Mas mesmo os recursos grátis de Magic são suficientes para matar a saudade das cartas, com a vantagem de que não é possível perdê-las no aplicativo.


Limbo (Android, R$ 13,64; iOS, US$ 4,99)

 

Limbo é um jogo de plataformas, semelhante em jogabilidade a clássicos como Super Mario World e Donkey Kong Country. O clima do jogo, no entanto, é inteiramente oposto. em vez de mundos coloridos e alegres, o universo de Limbo é escuro, sombrio e perturbador. O ritmo do jogo também reflete essa diferença: ele é bem mais lento que outros jogos do gênero.

A descrição da história de Limbo nas lojas de aplicativo descreve bastante bem o tom do jogo: “Sem ter certeza sobre o destino de sua irmã, um garoto entra no Limbo”. A figura do garoto, pequena e com uma cabeça relativamente grande, e sua capacidade limitada de movimento, passam ao jogador uma sensação de fragilidade e medo que tornam a experiência ainda mais envolvente.

Ao longo do jogo, é necessário resolver pequenos quebra-cabeças para avançar. Por conta do clima criado pela direção artística do jogo, porém, cada passo é dado com muita cautela e deliberação. É esse clima, mais que qualquer característica de jogabilidade, que faz de Limbo uma experiência tão memorável.

 

Minecraft: Pocket Edition (Android, R$ 20,08; iOS, US$ 6,99; Windows Phone, R$ 15,60)

 

Embora Minecraft seja, sem dúvida, uma franquia bem estabelecida e conhecida, sua versão mobile merece menção nessa lista. O jogo, que pode ser visto como desde um simulador de Lego até uma ferramenta educacional, é um dos softwares mais revolucionários da nossa época, e a possibilidade de jogá-lo em seu celular é realmente notável.

A versão “pocket” do jogo é menor do que a versão para PCs e console: os mundos gerados aleatoriamente pelo jogo são notavelmente menores, e há menor variedade de inimigos espalhados por eles. Esses empecilhos, no entanto, não afetam tanto a jogabilidade, ainda mais considerando que o tempo de jogo em smartphones costuma ser menor que em consoles e PCs.

A adaptação dos controles para telas sensíveis ao toque também funcionam surpreendentemente bem. E, apesar da popularidade do jogo, ainda não existe nada parecido com ele, especialmente para dispositivos móveis.


Waking Mars (Android, R$ 7,82; iOS, US$ 4,99)

 

O protagonista do jogo de plataforma e exploração Waking Mars é um astronauta preso debaixo da superfície de Marte. Para escapar, ele precisa interagir com uma grande diversidade de criaturas, semelhantes a insetos e plantas, que populam o planeta, aprendendo o seu comportamento e usando-as para transpor obstáculos.

Para um jogo que se passa inteiro em cavernas, Waking Mars é lindamente colorido. As formas de vida alienígena com as quais o protagonista se depara brilham com um estilo artístico que parece ter sido colorido à mão. E a trilha sonora eletrônica e futurística do jogo também chama a atenção.

Por conta da necessidade de se experimentar com cada um dos novos bichos que aparecem no seu caminho para descobrir como ele “funciona”, Waking Mars pode ser descrito como um jogo sobre ciência, e sobre como o pensamento científico pode ajudar em situações arriscadas. Outra questão interessante é que, enquanto a maioria dos jogos gira em torno de tiros e morte, Waking Life gira em torno de criação de vida e diversidade biológica.


Back to Bed (Android, R$ 4,16; iOS, US$ 2,99; Windows Phone, US$ 3,99)

 

Os jogos para smartphone não costumam ser lembrado pelos seus gráficos, seja com relação à parte técnica, seja com relação à direção artística. Mas Back to Bed tem um estilo visual onírico e surrealista bastante marcante, suficiente, por si só, para recomendar o jogo a todos que se interessam por esse estilo.

O protagonista do jogo, Bob, é sonâmbulo, e precisa ser guiado de volta para sua cama por um guardiãs de seu subconsciente, um cão com cara de gente chamado Subob. O jogador controla Subob e o utiliza para resolver uma série de quebra-cabeças, que envolvem chapéus voadores, janelas com olhos piscando, relógios que derretem e mudanças inusitadas de perspectiva, tudo isso ao som de uma trilha sonora desconcertante.

Conforme as fases progridem, novas mecânicas vão sendo introduzidas, sempre na forma de objetos estranhos e inusitados. As soluções das fases nunca são muito difíceis, o que pode decepcionar alguns jogadores. Ainda assim, Back to Bed é uma experiência de jogabilidade que vale a pena conferir.


Hearthstone: Heroes of Warcraft (Android, iOS, grátis)

 

Hearthstone é um jogo de cartas semelhante a Magic, mas digital. Dois oponentes combatem, tentando esgotar a vida do outro antes que a sua acabe. Para isso, utilizam cartas que lançam feitiços, invocam criaturas e alteram o jogo das formas mais variadas. Ao iniciar o jogo, o usuário passa por algumas fases tutoriais que ensinam a jogar e, em seguida, pode explorar o jogo de forma mais livre.

Assim como Magic, um dos grandes atrativos de Hearthstone é a possibilidade de se jogar contra oponentes reais, e nesse aspecto o game não decepciona (embora exija uma conexão boa para funcionar). Com o tempo de jogo, você adquire novas cartas que podem ser usadas para turbinar o seu baralho, e é possível compor um deck de cartas que se adapte perfeitamente ao seu estilo de jogo.

Algumas das funções do jogo, no entanto, embora possam ser jogadas gratuitamente, também podem se tornar mais convenientes após um pequeno pagamento. Também é possível comprar mais cartas com dinheiro de verdade. As funcionalidades gratuitas do jogo, porém, são suficientes para muitas horas de diversão.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ