A bateria de papel

Barata e extremamente versátil, ela pode revolucionar o mundo dos dispositivos portáteis

Pesquisadores do Instituto Politécnico Rensselaer, no estado de Nova Iorque, nos EUA, desenvolveram um novo tipo de bateria feita de material barato, leve, ultra-fina e completamente flexível. Na verdade, ao olho não treinado ela se parece com uma folha de papel preto. Completamente integrada, a bateria pode ser “impressa” como papel. 90% do material é celulose, e o restante é composto por substâncias químicas não nocivas ao meio ambiente, como nanotubos de carbono. Ela pode funcionar em temperaturas que vão de -73 a 150 graus Celsius, e se comportar como uma bateria ou um super-capacitor. Além disso, sangue humano e suor podem ser usados para auxiliar a produção de energia, abrindo um leque de possibilidades de uso em aplicações médicas. A bateria pode ser enrolada, torcida, dobrada ou cortada em várias formas sem perda de integridade mecânica ou eficiência, e múltiplas folhas podem ser empilhadas para aumentar a capacidade de geração de energia. Os materiais necessários para sua criação são baratos, mas infelizmente os cientistas ainda não encontraram um meio de iniciar a produção em massa com baixo custo.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ