App de relacionamento compartilhava status HIV de usuários com outras empresas

Grindr é um popular app de relacionamentos focado no público LGBT. Um estudo realizado pelo instituto Sintef, da Noruega, e checado pelo BuzzFeed News, revelou que o aplicativo compartilhou dados pessoais de usuários com outras empresas.

Entre os dados compartilhados estão localização por GPS, telefone, e-mail e até o status HIV e a última vez que o usuário fez o exame para checar se tem o vírus. A empresa responsável pelo Grindr admitiu a prática.

No aplicativo, quem quiser pode compartilhar com outros usuários seu status HIV como negativo, positivo, indetectável (positivo, mas sob tratamento que o torna virtualmente incapaz de transmitir o vírus), negativo com Prep (um medicamento que reduz chances de contrair o vírus) e "não sei".

Nenhum usuário do Grindr é obrigado a compartilhar essa informação, mas o aplicativo recomenda que usuários o façam para "combater o estigma" contra a doença e contra quem é soropositivo.

Já o GPS é acessado pelo app para mostrar quem nas imediações está em busca de um encontro, ou instituições onde é possível fazer o exame preventivo contra HIV. Todas essas informações eram compartilhadas com diversas empresas, segundo a Sintef.

Duas delas são conhecidas do mercado de tecnologia: Apptimize e Localytics. Ambas são empresas que realizam estudos e propõem soluções comerciais para aumentar o alcance e o sucesso dos aplicativos de clientes.

Scott Chen, presidente de tecnologia do Grindr, confirmou o compartilhamento de dados sigilosos com Apptimize e Localytics. "Milhares de empresas usam essas duas plataformas. É prática comum no ecossistema de apps", disse o CTO ao Buzzfeed.

Em um comunicado compartilhado pelo Gizmodo, Chen acrescentou que a empresa toma todos os cuidados necessários com os dados de usuários e afirmou que todas essas informações são criptografadas. Além disso, os dados não são vendidos a ninguém, segundo Chen.

O estudo da Sintef, porém, conclui que é possível individualizar perfis de usuários cruzando dados de status HIV, número de telefone e localização por GPS. No mundo todo, mais de 3,6 milhões de pessoas usam o Grindr.

Após o surgimento da polêmica, Bryce Case, executivo de segurança do Grindr, disse em entrevista ao Axios que a plataforma vai parar de compartilhar status HIV com outras empresas, atendendo às críticas de usuários.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ