antena telecomunicação celular

Brasil ativou 1 novo celular 4G por segundo em 2018

Maria Dourado, editado por Rui Maciel 15/02/2019 19h24
Compartilhe com seus seguidores
A A A

O aumento das coberturas 3G e 4G em milhares de municípios se deu, mesmo com os maiores impostos do mundo

A cada segundo de 2018, um novo celular foi ativado no Brasil. Esses são os números divulgados pela Associação Brasileira de Telecomunicações. O crescimento do setor significa em 27,5 milhões de novos chips 4G —  no total, são 130 milhões de celulares de quarta geração em operação no País.


Em comparação com 2017, a cobertura de quarta geração cresceu 27%. Além disso, 606 novos municípios receberam as redes 4G, somando 4.429 municípios conectados — onde vivem 95,4% da população brasileira.  Esse número é quatro vezes superior à última obrigação estabelecida nos leilões das licenças de serviços móveis, de 1.079 municípios.

A cobertura de 3G também foi ampliada: agora são 5.385 municípios em que ela está presente. Em 2018, 254 novos municípios receberam as redes de terceira geração —  ultrapassando novamente o estipulado pela obrigação atual de cobertura, que é de 3.917 municípios.

Os acessos à internet via rede móvel no Brasil batem os 204 milhões. Se considerarmos aqueles fixos e móveis, o país fechou 2018 com 235,4 milhões de acessos — 31 milhões são em banda larga fixa, segmento que cresceu 7,6% em 12 meses.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) lembra que estes avanços deram-se “sem aportes de recursos públicos e nem transferência de recursos de setores da economia”. E afirma que “a prioridade absoluta” é reduzir as cargas regulatória e tributária nas telecomunicações. 

E são as tributações o ponto sensível do tema. O Olhar Digital divulgou recentemente um estudo de benchmarking da Anatel, comparando nossos serviços de telefonia móvel com aqueles prestados em 174 países. Aqui temos a maior taxação sobre banda larga fixa e a 4ª maior sobre telefonia móvel.

Para o IPEA, as atividades de telecomunicações geram "riqueza suficiente para autofinanciar sua universalização, com a qualidade desejada pelos consumidores, com sobra de valor adicionado para dotar de recursos orçamentários a União, os estados e os municípios, desde que o volume apropriado com tributos, somado àquele despendido no cumprimento de obrigações questionáveis, seja reduzido do patamar atual”. 

Banda Larga Anatel Telecomunicações internet móvel telefonia móvel
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você