Sergey Brin

Cofundador do Google critica smartphones para promover o Glass

Redação Olhar Digital 28/02/2013 10h30
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Sergey Brin disse que os aparelhos 'castram' as pessoas

Sergey Brin vem se tornando o principal promotor do Google Glass, tanto que já foi visto até no metrô de Nova York usando os óculos futurísticos de sua empresa. Mas o cofundador da gigante de buscas adotou uma tática ousada para falar de seu novo produto, criticando outro mercado em que atua - e atua bem.

Nessa quarta-feira, 27, Brin participou de um painel da conferência TED, onde declarou que os smartphones proveem uma experiência "castradora", algo que poderia ser amenizado com o Google Glass.

"O telefone celular é um hábito nervoso", atacou ele, colocando os dispositivos abaixo de um problema de saúde que atinge pessoas no mundo todo: "Se eu fosse fumante, eu provavelmente fumaria, em vez disso [usar o celular]. Pareceria mais legal."

O executivo justificou que o smartphone faz com que as pessoas se tornem dependentes, pois têm de conferir e-mails, redes sociais etc. a todo momento. "Este é o jeito a que você está destinado a interagir com outras pessoas?", questionou. "É o futuro da conexão pessoas andando curvadas, olhando para baixo, esfregando um pedaço de virdo?"

O curioso é que em 2011 o Google comprou a Motorola, uma das maiores fabricantes de dispositivos móveis em atividade, e hoje a companhia briga ferrenhamente com a Apple no setor de sistemas operacionais - o Android equipa boa parte dos smartphones e tablets que estão à venda.
Google Smartphones Google Glass
Compartilhe com seus seguidores

Recomendados pra você