Chip ARM

Conheça a ARM, a pedra no sapato da Intel

Stephanie Kohn, editado por Wharrysson Lacerda 19/03/2013 12h20
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Conversamos com o representante da companhia no Brasil para saber como trabalha a líder do mercado de mobilidade

Desde o ‘boom’ do setor de mobilidade um nome vem discretamente acompanhando os principais lançamentos do mercado. A ARM está por trás de mais de 90% dos smartphones e tablets do mundo. Tudo isso gracas ao seu modelo de negócio, pelo qual a companhia britânica licencia o design de seus processadores para fabricantes.

Diferentemente das tradicionais produtoras de chips, como a Intel, a ARM se concentra em desenvolver arquiteturas e vender sua propriedade intelectual para outras empresas. A companhia vive de royalties, o que garante um bom faturamento mesmo em tempos de estiagem.

"Nossa tecnologia está presente desde o chip de um controle remoto de TV até nos eletrodomésticos conectados na chamada ‘internet das coisas’", afirmou José Antônio Scodiero, representante da companhia no Brasil, em entrevista exclusiva ao Olhar Digital.

O setor menos representativo para a companhia ainda é o de PCs, dominado com folga pela Intel. Nesta disputa, no entanto, a companhia deu um passo significativo depois que a Microsoft lançou o Windows RT com um chip baseado em sua arquitetura - algo inédito na história da Microsoft.

Com isso, surgiram planos ambiciosos para o mercado de PCs. O vice-presidente executivo da companhia, Ian Drew, afirmou no fim do ano passado que a empresa quer conquistar 10% do mercado de chips de computadores pessoais em 2013. E Scodiero reforçou a ideia ao comentar que a adoção da Microsoft "valida a arquitetura ARM em outros mercados além da mobilidade".

A 'guerra dos chips' esquentou no ano passado, quando ARM e Intel começaram a competir na conquista do mercado alheio. Enquanto a britânica trabalha com o Google (Chromebook) e Microsoft, a Intel aumenta sua atuação no mundo dos smartphones por meio de parcerias com seis fabricantes que possuem em seus modelos o processador Atom.

A empresa europeia ainda se mune de outras oportunidades, segundo o representante brasileiro. A AMD, outra rival da Intel, vai começar a produzir chips ARM para servidores, que têm como objetivo diminuir consumo de energia, tamanho e preço. Se a parceria der certo, a europeia pode abocanhar mais um mercado cheio de oportunidades.

"Somos um ingrediente que faz parte da maioria das grandes empresas de chips. Elas podem comprar partes separadas e montar seu próprio produto. O mercado está fragmentado e nosso modelo de negócios cai muito bem neste mundo", disse Scodiero. "A empresa licenciou 9 bilhões de chips só em 2012, sendo que em toda sua história [22 anos] tinha chegado a 20 bilhões. Esta explosão de chips na mobilidade e, quem sabe em outros mercados, vai elevar este número para 30 bilhões em 2020."

Reprodução
Menor chip ARM do mundo com 2x2x0,5 milímetros 

Resultados

A britânica de chips tem colhido bons frutos com seu modelo de negócio. Ela lucrou mais do que o esperado no último trimestre de 2012. A alta de 16% no valor recebido antes de descontados os impostos gerou lucro de 80 milhões de libras (cerca de US$ 120 milhões) e receita de 164,2 milhões de libras (cerca de US$ 246,3 milhões) - um ganho de 4,08 libras por ação.

Já as ações se valorizaram em 51% nos 12 últimos meses, atingindo a maior cotação em 12 anos. Analistas projetam elevação de 5% a 6% nos lucro da empresa em 2013.

Vale lembrar que apesar do atraso no mercado de mobilidade, a Intel ainda apresenta receita superior. No quarto trimestre de 2012, a companhia anunciou receita de US$ 13,5 bilhões, dos quais US$ 2,5 bilhões representam lucro líquido. Contudo, o resultado é 27% inferior ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Por outro lado, a Qualcomm, cliente da ARM e principal rival da Intel, passou a concorrente em valor de mercado no período, se tornando a maior fabricante de semicondutores do mundo. A diferença é mínima e ocorreu pela primeira vez na história: US$ 104,82 bilhões para a Qualcomm, contra US$ 104,53 bilhões para a Intel.

Intel Microsoft Chip ARM AMD
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você