Em 2007, Steve Jobs foi veemente ao condenar o uso da stylus

Nesta quarta-feira, 9, a Apple apresentou o iPad Pro, uma mistura de laptop e tablet que se inspira diretamente no Surface Pro da Microsoft (embora a Apple não vá assumir isso nunca). O curioso é que a
Apple também está vendendo uma caneta (ou stylus) para o tablet por US$ 100, chamada Apple Pencil.

Reprodução

Steve Jobs deve se contorcer em seu túmulo com a notícia. Apesar de a caneta realmente funcionar muito bem, segundo a demonstração no palco, o fundador da companhia condenava veementemente a caneta para interação com uma tela sensível ao toque. Basta ver a imagem de destaque da notícia.

Ela foi capturada da apresentação do iPhone original, de 2007. Na ocasião, a indústria ainda não havia definido qual era o melhor método de input em celulares. Eram comuns aparelhos com teclados físicos e stylus. A introdução do iPhone, com o multi-touch, que reconhece múltiplos toques ao mesmo tempo, definiu um padrão no mercado, que vigora até hoje.

Como você pode conferir abaixo, ao falar da Stylus, Jobs diz: "Você tem que pegá-las, guardá-las, e você acaba as perdendo. Eca! Ninguém quer uma stylus, então não vamos usar uma stylus".
 

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ