Empresa quer voltar com projetos de aviões supersônicos

Desde a sua invenção, os aviões passaram por muitas mudanças ao longo dos anos graças aos saltos tecnológicos. No entanto, quando comparada com a década de 1950, a velocidade das aeronaves atuais não apresenta mudanças consideráveis.

A startup Boom Technology quer mudar isso e afirma que está na hora de trazer as viagens em jatos supersônicos para o mainstream em uma maneira moderna. O objetivo é oferecer uma aeronave de 45 lugares que navegue a Mach 2,2, algo em torno de 2.700 km/h. Essa velocidade é mais rápida que a do extinto Concorde, que chegava a 2.100 km/h, e, com certeza, mais rápida que o padrão atual de 800 km/h.

No entanto, antes de os viajantes poderem aproveitar dos voos supersônicos, é preciso convencer as companhias aéreas de que o avião possa ser rentável, o que freou o avanço do Concorde, que encerrou os seus voos em 2003. Vale lembrar que a empresa também está trabalhando com modelos pequenos de aeronaves, que são mais difíceis de gerar lucros, além de serem ineficientes em relação ao combustível.

Em resposta aos céticos, a startup diz que pretende trabalhar para não cometer os erros identificados nas principais falhas operacionais do Concorde: primeiramente, a aeronave consumia muito combustível e, em segundo lugar, o valor das passagens era muito alto.

A Boom já fechou acordos com a Spaceship, uma divisão da empresa aeroespacial Virgin Galactic, e com uma outra companhia aérea europeia que não foi identificada – a expectativa é de que os primeiros aviões sejam lançados em 2020. Apesar de a empresa planejar atuar em mais de 500 rotas, as principais cidades seriam Hong Kong, Londres, Nova York, Singapura, Sydney e Tóquio.

Via Bloomberg

Compras para o Natal? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ