Empresas de tecnologia criam medidas para ajudar refugiados

Google, Facebook, Microsoft, Twitter e outras grandes empresas da área de tecnologia estão trabalhando em recursos, em conjunto com o governo norte-americano, para ajudar refugiados no mundo todo. As empresas estariam respondendo a um pedido feito pelo presidente Barack Obama de cooperação de companhias privadas com a causa.

O Google se planejou para oferecer educação técnica para os refugiados através de ONGs. Cerca de 10 mil crianças que estão fora da escola poderiam ser beneficiadas com a ação. No começo do ano o Google também doou US$ 5,3 milhões em Chromebooks aos refugiados no continente europeu.

Já o Facebook pretende implantar um sistema de conexão Wi-Fi gratuita em diferentes locais da Grécia, além de continuar seus trabalhos com a ONU para oferecer acesso à internet para pessoas refugiadas em campos e promover a rede social para arrecadar fundos. A Microsoft quer construir um Hub de Inovação, onde os refugiados possam desenvolver e aprender competências técnicas e empresariais.

A HP também quer investir na educação, oferecendo espaços para o aprendizado no Líbano e na Jordânia para crianças e adultos. A Zynga vai aproveitar das plataformas de games para ensinar e aprofundar idiomas entre os refugiados. O LinkedIn e o Uber vão focar na oferta de empregos para as pessoas. Por outro lado, o Twitter, a IBM e o TripAdvisor oferecerão doações e investimentos em dinheiro às ONGs que ajudam quem estiver fora de seu país de origem.

Via Engadget

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ