Entenda o que é e como funciona o '3D Touch' do iPhone 6s

Se você ainda não está familiarizado com o novo recurso da Apple, o "3D Touch", prepare-se: especialistas apostam que em breve os dispositivos mais vendidos no mercado de tecnologia terão telas e trackpads muito mais sensíveis aos toques de seus usuários. 

Basicamente, podemos dizer que o sistema "3D Touch" é um esforço da Apple para aprimorar a resposta tátil de seus dispositivos, deixando o smartphone apto para medir a pressão exercida sobre sua tela e oferecer diferentes opções de interação de acordo com a intensidade do toque - e o novo iOS se aproveita bastante dos novos e apurados sensores de pressão dos iPhones.



Não é novidade

Na verdade, essa tecnologia não é exclusiva do novo iPhone 6S. Embora seja chamada agora de "3D Touch", o Apple Watch e o mais recente MacBook possuem a tecnologia "Force Touch", que opera da mesma maneira que o "3D Touch", embora ofereçam funções diferentes de acordo com o dispositivo, seja ele o trackpad do MacBook ou tela do Apple Watch - e ainda incluem o "Taptic Engine", que simula o clique utilizando micromotores que vibram conforme a pressão exercida sobre o trackpad ou tela.

Reprodução

Não é exclusivo


Quem se antecipou a também incluiu a tecnologia, que não é patenteada pela Apple, foi a chinesa Huawei, que lançou no dia 2 de setembro o Mate S. O celular é tão sensível que pode funcionar como uma balança de precisão e ambém pode oferecer funcionalidades diferentes de acordo com a intensidade do toque. A diferença aqui é que a empresa chinesa abriu a funcionalidade para ser personalizada de acordo com o gosto do usuários. 



Os dois recursos, da Apple e da Huawei são diferentes do sistema "Long Press", presente em algumas versões do Android. Nesse caso, a tela apenas identifica o tempo em que o ícone é pressionado, e não a pressão exercida sobre ela, que é o que é abordado nesse texto.

Como funciona?


O "3D Touch", que como vimos acima é uma repaginação comercial do já lançado "Force Touch", permitirá que o iPhone reconheça uma gama muito maior de gestos e suporte mais atividades.

Sensores capacitivos estão integrados com a iluminação da tela de Retina HD do iPhone e, dessa forma, conseguem medir com exatidão microscópica a pressão do toque através do deslocamento da tela na hora em que é pressionada, atribuindo um tipo de comando para cada intensidade de pressão.

Reprodução

Dessa forma, o usuário poderá selecionar o aplicativo da câmera, por exemplo, com um toque mais forte para escolher entre tirar uma selfie, gravar um vídeo normal ou em câmera lenta ou tirar fotos de forma tradicional. Caso o usuário queira simplesmente abrir a câmera, basta tocar suavemente sobre o ícone, como no modo tradicional. O mesmo vale para demais aplicativos, que agora apresentam uma camada nova de opções rápidas.

Reprodução

Reprodução

A Apple liberou o recurso para aplicativos fora da sua grade de produtos, como o Instagram, por exemplo, permitindo que o usuário possa acessar diretamente suas notificações a partir do ícone na home de iOS, sem obrigar o usuário a entrar na tela inicial do aplicativo.

De fato, o recurso é muito útil para visualizar informações sem sair da tela anterior, pois com uma pressão maior sobre um link, por exemplo, o sistema exibe uma nova camada flutuante sobre a tela anterior exibindo as eventuais informações do link.

Reprodução

Quando uma mensagem com um endereço é recebida, por exemplo, basta pressionar com mais força o link para abrir um preview do mapa em uma janela menor, exibindo o conteúdo com visualização tão confortável quando no aplicativo original.

Reprodução

O recurso "Peek and Pop" permite que o usuário veja o conteúdo visualizado através do "3D Touch" em tela cheia, basta arrastar o dedo durante a exibição proporcionada pelo "3D Touch" para o local indicado. Esse movimento fixa a pré-visualização e a exibe em tela cheia - como no último iPhone na ilustração acima.

Mais recursos

Outra modificação que usuários de iPhones vão sentir é a forma mais fácil de visualizar todos os aplicativos abertos no novo sistema. Antes, bastava dois cliques no botão home e tudo o que estava aberto no celular aparecia em janelas flutuantes na tela. Agora, para usufruir do recurso da mesma forma, será preciso um toque mais forte na extremidade da tela.

Além das funções que facilitam bastante o uso de uma série de aplicativos, outra grande sacada do "3D Touch" é a capacidade de "transformar" o teclado "QuickType" na tela em um trackpad virtual. IPads que já foram lançados e executam o iOS 9 também terão em breve uma funcionalidade semelhante. Com esse recurso, o usuário é capaz de controlar um cursor movendo dois dedos em qualquer lugar na tela, incluindo sobre o teclado, para selecionar, editar e mover textos.

Hardware

O "3D Touch" dobrou a espessura da tela dos novo iPhones e acrescentaram aproximadamente 10% a mais de peso em cada versão do novo iPhone. O 6S, por exemplo, pesa 143 gramas, 12 a mais que seu antecessor e o 6S Plus chega a 192 gramas. 

Reprodução

A Taptic Engine, essencial para o bom funcionamento do "3D Touch", também é responsável pelo peso e pela redução do tamanho físico da bateria. Diferenças que, na prática, não devem ser sentidas pelo usuário.

Compras para o Natal? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ