Facebook relaxa a política de utilização de nomes "fake" na rede

Depois de diversas polêmicas e protestos de grupos de diversas partes do mundo, o Facebook anunciou duas mudanças que vão permitir o uso de nomes "não autênticos" na rede social. Recentemente, a rede social foi alvo de críticas por bloquear contas que não usassem nomes reais.

Agora, o site vai permitir que usuários trans e que vivem em áreas onde é necessário manter o anonimato, por exemplo, expliquem "detalhes adicionais ou o contexto de sua situação única".

De acordo com o vice-presidente de crescimento do Facebook, Alex Schultz, o novo recurso deve permitir que a rede social avalie com precisão se o nome fornecido se encaixa com as regras determinadas pela empresa. "Isso vai nos ajudar a entender melhor as razões pelas quais as pessoas não podem atualmente confirmar seu nome", explica o executivo.

Quem sinalizar outros perfis como falsos também terá que justificar o contexto da denúncia, em uma tentativa de evitar a má utilização da ferramenta.

Como funciona?

Além de utilizar documentos oficiais para provar sua identidade, Schultz explica que quem é denunciado pode provar sua identidade usando também documentos considerados não legais, como contas de serviços púlicos, declarações bancárias ou assinaturas de revistas e jornais.

Apesar da possibilidade, o Facebook rejeitou o pedido de grupos que defendem as liberdades civis para que fosse permitida a utilização de links de outras plataformas online, como blogs e outras redes sociais.

Via TheGuardian

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ