Gigantes da tecnologia fazem 'greve' a favor da neutralidade da rede nos EUA

Diversas empresas que fazem parte da Internet Association - como Google, Facebook, Microsoft, Netflix, Spotify, Amazon e Uber - estão realizando hoje uma "greve" contra mudanças na legislação de internet nos Estados Unidos. As mudanças colocam em risco a neutralidade de rede do país e permitem que as provedoras de acesso de lá bloqueiem ou prejudiquem o acesso de alguns usuários e sites.

Segundo o The Verge, as propostas vieram de Ajit Pai, o diretor da agência reguladora de telecomunicações dos EUA (a FCC) nomeado por Donald Trump. O site considera que as mudanças propostas por Pai desmontariam as leis aprovadas pelo ex-presidente Barack Obama que garantem a abertura e neutralidade da internet.

Em protesto, as versões estadunidenses de sites relacionados às empresas da Internet Association mostrarão banners com mensagens como "site bloqueado" ou "atualize seu plano para ter acesso a esse site". A ideia é mostrar como seria a experiência de navegação dos usuários caso as mudanças legislativas propostas sejam aprovadas.

Pronunciamentos

Tanto o Google quanto o Twitter escreveram textos abertamente contrários às propostas de lei. O texto do Google considera que "graças em parte à neutralidade da rede, a internet aberta cresceu para se tornar uma fonte sem igual de escolha, concorrência, inovação, livre expressão e oportunidade. E ela deve continuar assim".

Já o Twitter ressalta que "a internet é o meio de inovação e livre expressão de mais sucesso já criado", e que "a FCC está dando largos passos em um processo de aprovação de leis para estripar as proteções a consumidores e a empreendedores, que são o coração da economia inovadora". 

A neutralidade de rede à qual as empresas se referem é a obrigação das operadoras de telecomunicações de tratar de maneira igual todos os dados que circulam pela internet. Ela é o princípio que proíbe as operadoras de bloquearem acesso a determinados sites, monitorar os padrões de navegação de seus clientes e impedir que eles realizem downloads de determinadas fontes, por exemplo. No Brasil, a neutralidade de rede é garantida pelo Marco Civil da Internet

Protestos

Embora os pronunciamentos do Google e do Twitter sejam importantes, outras empresas têm encontrado maneiras mais criativas de protestar contra as mudanças. O Spotify, por exemplo, colocou um banner em sua página inicial alertando sobre a possibilidade da mudança e orientando seus usuários dos EUA a agir contra ela:

Reprodução

Nos Estados Unidos, a Netflix também colocou um banner semelhante em sua página inicial, como pode se ver abaixo:

Reprodução

O Vimeo, que também é favorável à neutralidade da rede, fez um vídeo explicando o que pode mudar com a proposta da FCC, e orientando seus usuários a agir contra isso. Ele pode ser visto abaixo:

Por sua vez, o Reddit colocou uma série de "pegadinhas" em seu site. Na página principal, o logo que fica no canto superior esquerdo foi substituído por um GIF que demora para carregar e orienta o usuário a "atualizar" seu plano de internet porque "seu limite de banda foi excedido". Ao tentar acessar alguns fóruns, o usuário também pode ver uma página dizendo: "Sentimos muito, mas esse site não faz parte do seu pacote. Você precisa pagar uma taxa extra à sua operadora para avançar":

Reprodução

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ