Google pode ser forçado a parar de ler e-mails para 'melhorar' anúncios

Não é segredo que o Google lê os e-mails dos usuários do Gmail para veicular anúncios segmentados. No entanto, a empresa pode ser forçada a parar com esse hábito, pelo menos na Europa.

A União Europeia pretende tomar medidas adicionais para proteger a privacidade dos internautas locais, sendo que a nova iniciativa pode limitar o poder das empresas de internet quando se trata de coletar dados de usuários.

Em um comunicado, a Comissão Europeia afirma que 92% dos europeus consideram importante que seus e-mails e mensagens online permaneçam confidenciais e que pretende aumentar o “nível de regras de privacidade para todas as comunicações eletrônicas e as regras de proteção de dados”.

Isso significa que as empresas de internet, como Facebook, WhatsApp, Google e Apple, passariam a ter que seguir as mesmas regras que as operadoras de telecomunicações e provedores de serviços de internet, garantindo que as mensagens, chamadas de voz e conversas por e-mail sejam confidenciais.

A proposta também afetaria os cookies, que hoje podem ser usados pelas empresas para diversos fins, incluindo o rastreamento de usuários online. “As novas regras permitirão que os usuários tenham mais controle sobre suas configurações, fornecendo uma maneira fácil de aceitar ou recusar o rastreamento de cookies e outros identificadores em caso de riscos de privacidade”, explica a proposta.

Por outro lado, críticos da proposta afirmam que as mudanças colocariam ainda mais pressão sobre as empresas de telecomunicações tradicionais e poderiam impactar a receita de publicidade.

Via BGR

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ