Governo dos EUA sugere proibição do despacho de notebooks em voos

Dispositivos eletrônicos pessoais são perigosos e não devem ser despachados em aeroportos, defende o governo dos EUA. O órgão regulador de aviação norte-americano pede para toda a comunidade mundial de companhias aéreas que o despacho de notebooks e aparelhos do tipo seja proibido por risco de incêndio.

Em um estudo enviado à ONU, a agência de aviação dos EUA relata testes que mostram como as baterias recarregáveis dos notebooks esquentam próximas a latas de aerosol, o que pode iniciar um incêndio dentro de um avião.

Em um dos testes, uma lata de xampu foi posicionada próxima a um laptop. Quando a bateria esquentou, um incêndio foi iniciado e cresceu rapidamente, fazendo a lata explodir em menos de 40 segundos. Por isso, o órgão norte-americano sugere que o mundo inteiro proíba o despacho desses dispositivos em voos.

Caso a sugestão seja seguida, quem quiser viajar com um notebook só vai ter a opção de levá-lo em bagagem de mão. Para despachar um desses aparelhos, o passageiro precisaria de uma aprovação específica por parte da companhia aérea.

A sugestão vai ser levada para uma reunião da Organização da Aviação Civil Internacional que será realizada nesta semana em Montreal, no Canadá. Para se tornar uma recomendação global, é necessário que países membros do órgão aprovem a medida.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ