Haddad indica que vai aprovar Uber em SP, mas com restrições

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), anunciou ontem à noite em uma palestra no Instituto de Estudos Políticos de Paris que não banirá o funcionamento do aplicativo Uber em São Paulo. Entretanto, a novidade deverá operar legalmente com modificações e restrições impostas pelo Executivo municipal, como a limitação do número de motoristas que poderão trabalhar com o aplicativo, por exemplo. 

Segundo Haddad, as modificações que já estão sendo preparadas por sua equipe almejam garantir que o serviço não concorra com o trabalho de mais de 30 mil taxistas que atendem em São Paulo, mas também não deixa a maior cidade do Brasil de fora da evolução tecnológica de serviços como o Uber (o que inclui outros aplicativos que podem surgir nessa mesma linha), garantindo o funcionamento do aplicativo.

"Estamos estudando os modelos no mundo e encontrando soluções muito inovadoras, que preservam o direito dos taxistas, mantêm a regulação do Estado, mas não se fecham aos novos recursos tecnológicos", afirmou na palestra.

Haddad afirmou que não usará apenas o texto da Câmara para arbitrar sobre o assunto, mas também um arsenal jurídico federal e municipal sobre mobilidade urbana. "Nós devemos anunciar isso sem ser na segunda-feira que vem, na outra", adiantou.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ