Hotel é multado por derrubar Wi-Fi pessoal de hóspedes nos EUA

Se você já se hospedou em um hotel, possivelmente já viveu o dilema sobre pagar ou não para acessar internet via Wi-Fi. Uma alternativa simples é usar o celular para criar seu próprio hotspot, mas pelo menos uma empresa encontrou um jeito de barrar este tipo de conexão. Nos EUA, a Marriot, empresa que administra várias redes de hotéis nos EUA foi condenada por utilizar tecnologia para impedir que seus hóspedes criassem hotspots.

O FCC, órgão que regula as comunicações no país, decidiu multar a empresa em US$ 600 mil por interferir e desabilitar redes Wi-Fi intencionalmente em um hotel em Nashville, no estado do Tennessee. A investigação começou em março de 2013, após a reclamação de um usuário que alegava que seu hotspot não funcionava no salão de festas do hotel.

A empresa estaria usando um aparelho com o propósito de evitar que os clientes criassem uma conexão estável, obrigando-os a utilizar a rede do hotel. A Marriot confirmou ter usado um serviço de monitoramento que possui “recursos de contenção”, utilizados com o objetivo de “evitar que consumidores se conectem à internet por meio de suas redes Wi-Fi pessoais”.

A investigação concluiu que a empresa usava o sistema para enviar pacotes de desautenticação para os hotspots. O regulamento do FCC proíbe o uso de frequências de rádio desta forma.

Para o usuário, além de evitar custos extras, às vezes o uso de uma rede própria de internet é útil por diversos motivos. Alguns sites podem ser bloqueados na rede do hotel; streaming de vídeos e compartilhamento de arquivos em redes P2P também podem ser podados.

Via GigaOM





RECOMENDADO PARA VOCÊ