Impressão 3D no espaço com participação brasileira

Empresa nacional fornece o insumo básico, que, aliás, tem origem na cana-de-açúcar

Um avanço fundamental para garantir mais segurança e autonomia nas viagens espaciais foi alcançado com a participação de uma empresa brasileira. Astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional conseguiram realizararm uma impressão 3D fora da atmosfera terrestre, e ela foi feita usando um insumo nacional, chamado I'm Green™, criado pela Braskem, a maior empresa do segmento de resinas termoplásticas das Américas. O Plástico Verde I'm Green™ é produzido a partir da cana-de-açúcar e é completamente reciclável. O feito é importante porque permitirá, a patir de agora, a impressão de utensílios ou ferramentas a bordo de estações ou naves espaciais. Para tanto, os astronautas podem receber um email com as plantas digitais dos produtos a serem fabricados e, usando impressoras desenvolvidas pela empresa norte-americana Made In Space, conseguem eles mesmos repor itens de consumo ou mesmo fabricar ferramentas específicas que podem ser decisivas em caso de reparos. O processo é infinitamente mais rápido e econômico - imagine ter que deslocar uma peça qualquer até o espaço, em caso de necessidade inegociável.

De olho em Marte

A Made In Space é a principal fabricante de impressoras 3D adaptadas a ambientes de gravidade zero e é uma das mais estratégicas fornecedoras da Nasa, a agência espacial norte-americana. O plástico verde da Braskem foi escolhido como insumo dessas impressões porque reúne características fundamentais de flexibilidade, resistência química e reciclabilidade. A impressão 3D em questão foi feita numa impressora chamada AMF (Additive Manufacturing Facility) e teve como resultado um conector de tubos para irrigação de vegetais.

A impressão 3D vai ocupar papel central em viagens mais longas, como a planejada ida a Marte dos próximos anos. Andrew Rush, presidente da Made In Space afirma que “a capacidade de imprimir peças e ferramentas em 3D sob demanda aumenta a confiabilidade e segurança de missões espaciais. Essa parceria com a Braskem é fundamental para a diversificação de matérias-primas usadas na AMF e, assim, tornar a impressão mais robusta e versátil”. Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem, resume a importância do projeto:  “com essa parceria, combinamos uma das grandes inovações em polímeros, o Polietileno Verde, com alta tecnologia espacial para a impressão 3D de objetos em gravidade zero. Ter um polímero renovável para impressão no espaço é um marco em nossa história”.

Experiência na TV

A impressão espacial em 3D chamou tanta atenção que suscitou um documentário, produzido pelo canal Discovery e patrocinado pela Braskem