Impressão 3D pode restaurar nervos rompidos

Pesquisadores da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, desenvolveram uma técnica que usa a impressão 3D para restaurar nervos rompidos, reconectando as extremidades soltas.

As lesões de nervos periféricos são bastante comuns na medicina. Tradicionalmente, os médicos realizam um procedimento que usa o tecido nervoso retirado de outro local do corpo para preencher a lacuna. A cirurgia, no entanto, é dolorosa envolve uma série de riscos, como a possibilidade de perda sensorial.
Com a descoberta, os médicos poderão usar uma "ponte" artificial de silcione, impressa em forma de tubo, que serve como um canal para a regeneração.

Em testes com roedores, os pesquisadores usaram um scanner 3D para visualizar o rompimento e desenvolver um componente que se encaixe exatamente no vão. Dentro da estrutura há materiais bioquímicos que estimulam o crescimento do nervo.

"Caso a tecnologia seja usada comercialmente, os médicos poderiam utilizar o lado oposto do corpo para substituir a digitalização ou usar informações de 'bibliotecas' com informações obtidas de corpos usados para estudo", diz Michael McAlpine, professor de engenharia mecânica da universidade e um dos responsáveis pelo projeto.

Para as próximas etapas, os pesquisadores afirmam que vão testar novos materiais, em especial um tipo biodegradável, capaz de se dissolver no corpo assim que realizar sua missão. Os testes em humanos, segundo McAlpine, podem ser realizados entre 5 e 10 anos. De acordo com os pesquisadores, a técnica pode ser utilizada também por neurocirurgiões. 



Via TechnologyReview

Compras para o Natal? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ