Intel inicia processo de contestação de multa antitruste aplicada pela União Europeia

Empresa defenderá sua posição em uma audiência de quatro dias no Tribunal Geral, em Luxemburgo, entre 3 e 6 de julho

A Intel vai pedir ao segundo mais alto tribunal europeu que cancele uma multa de 1,06 bilhão de euros (1,4 bilhão de dólares) imposta pela União Europeia por violações antitruste, argumentando que as autoridades regulatórias não conseguiram provar que a companhia havia bloqueado as ações da rival AMD, em 2009.

A Comissão Europeia, que regulamenta a competição na União Europeia, penalizou a Intel com a maior multa já imposta a uma companhia, devido ao uso de táticas de concorrência desleal contra a empresa rival. Essa decisão surgiu ao final de uma investigação de oito anos.

Duas pessoas relacionadas ao caso afirmam que a Intel defenderá sua posição em uma audiência de quatro dias no Tribunal Geral, em Luxemburgo, entre 3 e 6 de julho. Além disso, a Intel afirma que a multa, equivalente a 4,15% de seu faturamento em 2008, é "claramente desproporcional" (as autoridades regulatórias da União Europeia têm poder para multar empresas em até 10% de seu faturamento mundial).

Segundo a agência de notícias Reuters, a companhia já conquistou o apoio do ombusman Europeu, que censurou a Comissão por erros administrativos em sua investigação.





RECOMENDADO PARA VOCÊ